Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Maioria das imparidades do grupo La Seda já estão registadas

luís barra

O investimento no grupo espanhol foi apadrinhado politicamente mas revelou-se um fiasco. Maior parte das perdas do banco público já foram registadas

A Caixa Geral de Depósitos já registou a maioria das imparidades provocadas pelos crédito e a participação acionista do banco em empresas do grupo petroquímico espanhol La Seda Barcelona, sabe o Expresso. As perdas provocadas por este crédito e investimento feito no Governo de José Sócrates, quando a CGD era liderada por Carlos Santos Ferreira e Armando Vara, podem chegar aos 900 milhões, noticiou hoje o Público, mas a maior parte já foi registada em exercícios anteriores. Quer se trate de participação acionistas quer se trate de empréstimos concedidos, apurou o Expresso junto de fontes conhecedoras do processo.

A operação da Caixa em Espanha tem sido uma enorme dor de cabeça para o banco público nos últimos anos e os estilhaços dos créditos e aplicações feitas no passado, continuam a ter impacto nas contas do banco. Desconhece-se com rigor as imparidades e as provisões que a Caixa já terá feito para este crédito, mas fonte do banco afirma que a maioria deste financiamento e investimento já está dado como perdido.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)