Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“Quando a crise financeira chegou, era como se houvesse sangue nas ruas”

EXECUÇÕES. No pico da crise, uma em cada 16 casas em Las Vegas teve a hipoteca executada pelos bancos

STEVE MARCUS / REUTERS

Mark Hostetler era agente imobiliário em Las Vegas quando a bolha do mercado imobiliário rebentou, deixando centenas de famílias sem casa. O estado do Nevada vive ainda hoje com as feridas da crise financeira

Cátia Bruno

Cátia Bruno

Jornalista


Este texto é o quinto de uma série que o Expresso está a publicar sobre os swing states (estados imprevisíveis e decisivos na eleição). Para ilustrar cada um dos nove estados, escolhemos um tema que marca a região − e o país − e um entrevistado para nos falar sobre ele

Mark Hostetler lembra-se bem do caos que se viveu em Las Vegas em finais de 2008. Como agente imobiliário, tinha como função vender as propriedades capturadas pelos bancos, depois de estes executarem as hipotecas daqueles que não conseguiam pagar. Mas o rebentamento da bolha imobiliária no estado do Nevada afetou igualmente Mark: “Muitos amigos meus perderam as suas casas, outros venderam-nas. Comigo, todas as propriedades que possuo passaram a valer metade do que valiam. Todas! Ninguém saiu incólume disto.”

A bolha de crédito fácil em Las Vegas rebentou e arrastou consigo centenas de famílias − muitas delas ainda hoje afetadas pelo que aconteceu há oito anos. A taxa de desemprego na cidade atingiu os 14%, enquanto o mercado imobiliário foi o mais afetado. No pico da crise, foram executadas as hipotecas de uma em cada 16 casas, quando a média nacional era de uma em 69. Quase 60% das casas passaram a valer menos do que o valor do empréstimo que as famílias tinham contraído para as pagar. Atualmente, um em cada quatro proprietários de Las Vegas ainda tem uma casa cujo valor de dívida ao banco é superior ao valor real do imóvel.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)