Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Médico dos Comandos negou qualquer tipo de negligência na morte dos dois militares

INVESTIGAÇÃO. Hugo Abreu e Dylan Almeida morreram no primeiro dia de treinos, e segundo do curso, a 4 de setembro

Suspeito foi ouvido uma vez pelas autoridades civis e apenas como testemunha. Voltará a ser interrogado em breve, quando já for arguido. Será indiciado pelo Ministério Público pelo crime de abuso de autoridade

O médico que estava de serviço a 4 de setembro no campo de tiro de Alcochete (Setúbal), local do primeiro dia de treinos do 127.º curso dos Comandos, foi ouvido uma vez no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, como testemunha.

Os procuradores responsáveis pela investigação das mortes de Hugo Abreu e Dylan Silva, ambos de 20 anos, confrontaram o responsável clínico com as informações fornecidas por outras testemunhas do processo em interrogatórios anteriores. “O médico não explicou muito bem qual a razão por que se foi embora às 19h00 da tenda de campanha onde se encontravam as vítimas”, revela uma fonte da investigação.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)