Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Filhos do embaixador podem ser ouvidos pela Justiça? Sim. Mas vale alguma coisa? Não

POLÉMICA. Filhos do embaixador iraquiano em Lisboa confessaram ter agredido Rúben Cavaco

Confusão total no caso da imunidade diplomática dos filhos do embaixador. Iraque diz que os agressores podem ser ouvidos mas juristas ouvidos pelo Expresso garantem que os testemunhos de nada servirão se não lhes for levantada a imunidade diplomática

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

O Iraque permite que os filhos do embaixador em Lisboa que agrediram o jovem Rúben Cavaco em Ponte de Sor, no final de agosto, possam ser ouvidos pela Justiça portuguesa - mas sublinha que é “prematuro” discutir a questão da imunidade. Juristas ouvidos pelo Expresso garantem que de nada servirá o depoimento dos jovens de 17 anos, a não ser que a imunidade seja mesmo levantada.

De acordo com o procurador Rui Cardoso, ex-presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público e professor do Centro de Estudos Judiciários, “a lei não permite” que os gémeos sejam ouvidos.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Iraque adia outra vez decisão sobre imunidade

    Iraque mostra disponibilidade dos filhos do embaixador iraquiano em Lisboa para serem desde já ouvidos no inquérito em curso mas diz ser prematuro a questão da imunidade diplomática dos filhos do embaixador iraquiano que agrediram Rúben Cavaco em Ponte de Sor