Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Harry Potter está de volta para nos fazer lembrar como foi pertencer àquela geração

  • 333

EDIÇÃO PORTUGUESA A versão original foi publicada a 31 de julho e desde então está entre os livros mais vendidos

DANIEL LEAL-OLIVAS/AFP/GETTY IMAGES

Dois meses depois do lançamento mundial, “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada” chega em português às livrarias. Segundo a editora já estão encomendados cerca de 25 mil livros. Houve fãs que não quiseram esperar e correram para comprar a versão orginal (que em Portugal ocupa o primeiro lugar no top de vendas). As opiniões dividem-se, mas num ponto estão de acordo: há felicidade e nostalgia ao regressar ao mundo mágico que outrora os fez tão felizes

Escola de Hogwarts de Magia e Feitiçaria
Cara Miss Gonçalves
É nosso prazer informá-la de que tem um lugar à sua espera na Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts. Junto enviamos uma lista dos livros e equipamentos necessários.
O ano letivo começa a 1 de setembro. Queira enviar-nos a sua coruja até ao dia 31 de julho, sem falta
Atenciosamente,
Minerva McGonagall
Subdiretora”

Durante anos esperei que chegasse uma carta como esta. Nunca chegou (obviamente). E, tal como eu, tantos outros miúdos sonharam um dia vestir a capa negra e pertencer a uma das quatro casas de Hogwarts (Gryffindor, Slytherin, Hufflepuff e Ravenclaw). Mas a culpa de toda esta fantasia pertence inteiramente a uma pessoa: J.K. Rowling. Depois de quase dez anos sem novo livro da saga de Harry Potter, a escritora britânica está de volta. Desta vez, acompanhada pelo argumentista Jack Thorne e o encenador John Tiffany.

“Harry Potter e a Criança Amaldiçoada” chegou às livrarias de todo mundo a dia 31 de julho. Dois meses depois, à meia-noite deste sábado, será lançada a edição portuguesa (Editorial Presença, €17,90). O novo livro não é uma narrativa. Na realidade, trata-se da adaptação do guião da peça que está nos palcos de West End, em Londres.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)