Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Quem tem medo da S&P?

  • 333

reuters

A agência de rating Standard & Poor’s revê esta sexta-feira o rating da República Portuguesa. Aconteça o que acontecer, será um prelúdio para a decisão mais aguardada: a da DBRS, em outubro

A 18 de março deste ano, a Standard & Poor's (S&P)reafirmou o seu rating de Portugal em território de ‘lixo’ ( BB+), com perspetiva (outlook) ‘estável’. Esta sexta-feira, ao fim da tarde, poderá alterar a sua perspetiva para ‘negativo’. Ou, então, pode nem dizer nada. Seja como for, no mercado, um eventual anúncio é aguardado com alguma expectativa. As condições de financiamento do país têm vindo a deteriorar-se. Quarta-feira, o leilão de Obrigações do Tesouro (OT) registou um aumento do custo de financiamento e o montante colocado foi o mínimo previsto no intervalo anunciado (750 mil a 1.000 milhões de euros).

Ainda assim, a Moddy’s, outra das três principais agências de rating mundiais, anunciou esta semana que considera que o risco de Portugal ter de pedir um segundo resgate financeiro “é baixo”. A divulgação deste relatório surge depois de a agência ter mantido a sua visão para o país.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Os juros das Obrigações do Tesouro português estão em alta em todos os prazos desde o anúncio da decisão do Banco Central Europeu de não mexer na política monetária na reunião desta quinta-feira. Juros a 10 anos, perto de 3,1%, regressaram a níveis de 20 de julho