Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Alunos a entrar nas universidades aumentaram. E o mérito é de quem?

  • 333

COLOCAÇÕES. Os resultados da 1ª fase do concurso de acesso ao ensino superior foram conhecidos este sábado. Quase 43 mil já garantiram um lugar

LUCÍLIA MONTEIRO

António Costa disse que a subida representa a “morte do modelo de desenvolvimento que a direita quis impor”. O líder parlamentar do PSD, acusou o primeiro-ministro de “esperteza saloia” ao apresentar tal explicação. Mas para os responsáveis de universidades e politécnicos a principal explicação é outra e tem a ver com a maior ou menor dificuldade dos exames nacionais em cada ano

Facto número 1: o número de alunos que já garantiu um lugar no ensino superior público ( 42.958) através da 1ª fase do concurso nacional de acesso é superior ao de idêntico período do ano passado: aumentou 2,1%, o equivalente a mais 890 caloiros.

Facto número 2: o número de estudantes colocados, mas também de candidatos, aumentou pelo terceiro ano consecutivo. Sendo que foi em 2015 que se deu o maior salto: houve então mais 4290 jovens a ingressar nas universidades e politécnicos públicos, o que correspondeu a uma subida de 11,4%.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Ensino superior: Montenegro acusa Costa de “esperteza saloia”

    “O primeiro-ministro diz que o crescimento [em número de alunos] deste ano tem a ver com a recuperação económica do país. ‘Voilá’, o primeiro-ministro percebeu três anos depois que em 2014, 2015 e, por via dessa dinâmica também em 2016, as condições económicas foram melhorando. Ele tem razão, só não tem razão em dizer que só aconteceu este ano”, aponta o líder parlamentar do PSD

  • Número de alunos a entrar no ensino superior volta a aumentar

    Quase 43 mil jovens já têm um lugar garantido numa universidade ou politécnico público. Os resultados das colocações da 1ª fase do concurso nacional de acesso acabam de ser divulgados e revelam um aumento de 2% face a 2015. Duas engenharias no Técnico exigiram as médias de entrada mais altas. Somando todas as vias de acesso, o número de entradas no superior pode ultrapassar os 78 mil