Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Caçadores de famosos

  • 333

EXEMPLO. Duarte Roriz mostrando como tirar um “flagrante” numa esplanada

tiago miranda

Ficam noites a fio no aeroporto para conseguirem fotografar famosos em partida para férias. Têm informadores espalhados pelo País, entre idosos nas aldeias, vendedores ambulantes e empregados de restaurante. Uma imagem de José Sócrates a beijar a namorada pode valer largos milhares de euros — uma reportagem publicada originalmente no Expresso/Revista Única de 8 de julho de 2006

Bernardo Mendonça

Bernardo Mendonça

texto

Jornalista

Tiago Miranda

Tiago Miranda

fotos

Fotojornalista

Chama-lhe “campo de treinos”. Ou “zona de estágio” até ao seu próximo flagrante. Há dois dias que “Guilherme” — nome fictício, pois não quer ser identificado —, conhecido nos meandros da imprensa cor-de-rosa nacional como o paparazzo “Talibã”, está acampado no Parque Natural do Vale Guadiana, na zona de Pulo do Lobo, a poucos quilómetros da vila de Serpa, Alentejo.

O acesso é acidentado e a zona quase deserta. Talvez por isso tenha feito do local um dos seus retiros secretos, perfeito para quando não está à caça da intimidade dos famosos da nossa praça. No correr das horas, e das longas tardes de sol, o obturador da sua máquina fotográfica semiprofissional Cannon 20D dispara para os voos altos da pequena andorinha das rochas, uma espécie muito característica entre a fauna da região. “Estas aves são ótimas para exercitar a fotografia nos corpos em movimento”, explica.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Mr. Papparazzi

    Dirige um exército de 800 “paparazzi” espalhados por todo o mundo e a maior decisão da sua vida foi não publicar as últimas imagens da princesa Diana em Paris. Darryn Lyons, o Mr. Paparazzi, deu uma entrevista ao Expresso que publicámos na revista de 27 de setembro de 2008 e que agora republicamos