Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

A ascensão e queda de Antero Henrique

  • 333

RENÚNCIA. Depois de 26 anos ao serviço do Dragão e mais de uma década como braço direito de Pinto da Costa, Antero Henrique deixa o clube em queda

JOSÉ COELHO / LUSA

O vice-presidente portista renunciou a todos os cargos do universo FC Porto, desgastado por três anos de seca de títulos e pelo fiasco de compras e vendas no mercado de verão. A entrada de receitas em caixa ficou aquém dos €10 milhões

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

O mundo dá muitas voltas. Antero Henrique, braço direito de Pinto da Costa desde os anos de brasa do Apito Dourado, deixou quinta-feira o cargo de administrador da SAD portista, após 26 longos anos ao serviço do clube onde debutou como tarafeiro da revista Dragões.

O vice-presidente portista cede o lugar na SAD e de diretor-geral dos destinos do futebol profissional portista a Luís Gonçalves, ex-vice presidente do FC Porto e diretor da revista do clube quando Antero, aos 22 anos, chegou às Antas. A exercer as funções de diretor de scouting no Shaktar Donetsk, o primeiro chefe de Antero Henrique deixa a Ucrânia para regressar ao clube onde nos anos 90 dirigiu as camadas jovens ao lado de Joaquim Pinheiro, irmão de Reinaldo Teles, o antecessor de Antero no comando do cobiçado departamento de futebol azul e branco.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Antero Henrique abandona FC Porto

    Clube oficializou esta noite saída do dirigente, por "motivos de ordem pessoal". Será substituído por Luís Gonçalves, que estava no Shakhtar Donetsk

  • FC Porto, quem te viu e quem te vê

    Depois de largos anos a transferir estrelas aos milhões, os dragões encerraram o mercado com €9,25 milhões em caixa e um único jogador vendido. É a fatura de três anos de seca, no verão em que leões e águias dominaram o mercado

  • Espírito Santo, a escolha que dividiu a SAD do FC Porto

    A escolha de Nuno Espírito Santo para salvar a nação portista e está a dividir a SAD do FC Porto, partida entre a aposta em Marco Silva e a vinda de um técnico ainda verde mas que encarne a mística azul-e-branca. Pinto da Costa deu a benção à fação do filho Alexandre, defensora do regresso do ex-guarda-redes da casa ao reino do Dragão pela mão do eterno amigo Jorge Mendes. Antero Henrique é o perdedor no braço de ferro com Alexandre Pinto da Costa