Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“Temos de honrar a bondade de quem nos ajudou e seguir em frente”

  • 333

De mãos dadas, Geraldo e Maria José escolheram o cais do Funchal para falar e tirar a fotografia - era a vista que tinham de casa antes de o fogo a ter reduzido a escombros. Aos 50 anos e com três filhos, começam de novo

Marta Caires

Jornalista

Geraldo e Maria José Rodrigues começam de novo aos 50 anos, da casa ficaram só as paredes. A mobília, a roupa, documentos e outros papéis arderam há uma semana, quando o fogo consumiu o número 65 da Estrada dos Marmeleiros, no Funchal, uma das 300 casas destruídas pelos incêndios de acordo com o último balanço. “O mais importante ficou, estamos todos e unidos.” E todos são eles, os três filhos e a mãe de Geraldo, os mesmos que agora estão alojados num apartamento da Investimentos Habitacionais da Madeira na Cancela, do outro lado da cidade.

“Temos um teto e isso já é muito bom, não nos podemos queixar.” Geraldo, de 54 anos, funcionário da Empresa de Electricidade da Madeira, faz questão de agradecer toda a ajuda que tem recebido, até o relógio que traz no braço veio da solidariedade. O apoio tem chegado da família, de amigos dos filhos, de amigos de amigos e de pessoas que nem sequer os conhecem. “Não queremos ser ingratos, não queremos defraudar essas pessoas e todo o apoio que nos têm dado. Temos de honrar a bondade de quem nos ajudou e seguir em frente.”

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)