Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Bruno de Carvalho escreve sobre a vida bonita de Moniz Pereira

  • 333

Antonio Pedro Ferreira

“Não me esqueço daquela madrugada gloriosa, a minha primeira noitada em que aprendi que podemos não dormir uma noite inteira e ficar felizes.” Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, explica como Moniz Pereira lhe mudou a vida. E como mudou a vida do clube. E como mudou a vida do país. Um texto para o Expresso

Bruno de Carvalho

Até Sempre, Moniz Pereira

O Sporting CP é um Clube que se orgulha da sua história. E é por isso um privilégio ser Presidente de uma instituição centenária que tem entre os seus melhores uma figura como a do Professor Mário Moniz Pereira.

Estamos a falar de alguém que dedicou a sua vida ao desporto, uma das suas grandes paixões. A outra era o Sporting CP. E é alguém que personifica de forma indiscutível e lema que nos identifica: Esforço, Dedicação, Devoção e Glória.

Foi um fabricante de campeões que elevaram Portugal ao máximo expoente da glória no atletismo. Recordo Carlos Lopes, em 1984, na primeira vez que ouvimos o Hino Nacional nos Jogos Olímpicos, mas também os irmãos Castro ou Fernando Mamede. Não me esqueço daquela madrugada gloriosa, a minha primeira noitada em que aprendi que podemos não dormir uma noite inteira e ficar felizes e bem dispostos, em que o esforço, a dedicação e a devoção de ambos, Moniz Pereira e Carlos Lopes, conduziram Portugal à glória olímpica.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Uma vida bonita

    O atletismo português perdeu um pai e o país uma das figuras desportivas mais importantes da sua história

  • “Tive muitos desgostos, como toda a gente, mas acho que a vida compensa tudo”

    “Transpira optimismo e boa disposição. Considera a falta de pontualidade uma ofensa pessoal. Praticou quase todos os desportos, foi professor e é a grande referência do século XX no atletismo português.” Assim foi apresentado Mário Moniz Pereira, uma das personalidades ouvidas para a série “O que a vida me ensinou”, pelo jornalista do Expresso Valdemar Cruz, em texto publicado na Revista Única em fevereiro de 2005. Leia ou recorde o relato na primeira pessoa feito pelo Senhor Atletismo, então com 84 anos

  • O homem que acreditava em nós

    Diz-se que Moniz Pereira é o “Senhor Atletismo”. Diz-se bem mas é pouco: é o “Senhor Portugal”. Porque tinha essa crença simples e bonita que Carlos do Carmo explica: “Tive um grande apreço pela sua capacidade de ser português. Uma coisa com a qual ele embirrava profundamente era com a atitude do lado pequenino das coisas. Ele dizia ‘ser português é ser como os outros, não somos nem mais nem somos menos”. Carlos Lopes, ali na fotografia com Moniz Pereira, pormenoriza as consequências desta crença: “Éramos capazes de fazer coisas em que ninguém acreditava”. Diz-se que Moniz Pereira é o “Senhor Atletismo”. Diz-se bem mas é pouco: “Senhor Portugal”

  • Os Jogos de Moniz

    Moniz Pereira participou em 12 edições dos Jogos Olímpicos. Começou numa Londres devastada pela Guerra, em 1948, e só parou em Sydney 2000, do outro lado do Mundo. Recorde algumas das memórias dessas viagens contadas pelo “Senhor Atletismo”, num texto publicado na Revista Única do Expresso, em julho de 2008

  • Campeão de longo curso

    Moniz Pereira era uma figura ímpar no desporto nacional. Um campeão que criou campeões. Faleceu este domingo aos 95 anos e o Expresso deixa-lhe uma homenagem, recuperando um artigo originalmente publicado na revista de 10 de junho de 2000