Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Portugueses em Nice. “O meu amigo ficou morto na rua”

  • 333

getty images

Ricardo Bastos sobreviveu ao ataque - o camião da morte passou-lhe a dois metros. André Vaz atrasou-se para um encontro marcado para o local onde ocorreria o atentado e salvou-se - mas perdeu um amigo. Nice é uma tragédia para todas as nacionalidades

Parecia uma noite calma, que só se distinguia das outras todas por ser a de 14 de julho, dia Nacional de França e a maior festa do país. Bebiana Vaz, portuguesa a viver em Nice, só se apercebeu do que estava a acontecer ali tão perto, mesmo junto à praia, devido aos avisos dos vizinhos que lhe foram bater à porta pelas 22h45 (hora local).

“Os vizinhos, que são franceses, chegaram em pânico a contar o que sucedia ali perto de nós. Um camião tinha acelerado contra a multidão e havia tiros por todo o lado.” Uma das pessoas que faziam parte dessa multidão era o também português Ricardo Bastos, fisioterapeuta, que assegura ao Expresso ter vivido “um pesadelo”: “O camião não me colheu por uns dois metros”.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)