Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Primavera Sound Barcelona: à grande e à espanhola

  • 333

ABANAR O CAPACETE. Barcelona, esta quinta-feira à noite, durante a atuação da banca norte-americana LCD Soundsystem

marta perez /epa

Em terra de nuestros hermanos, Mário Rui Vieira antecipa aquilo que, em versão reduzida, chega ao Porto na próxima semana

O espaço é de uma magnitude considerável, os palcos são muitos e alguns deles bastante afastados, a animação espalha-se por todo o recinto e ontem foram 55 mil pessoas, segundo a organização, a fazer a festa no primeiro grande dia do Primavera Sound Barcelona. As maiores atrações eram os regressados LCD Soundsystem e os “recém-chegados” à primeira liga deste campeonato de festivais Tame Impala, mas não vimos um único palco, fosse a que hora fosse, sem uma verdadeira multidão à frente.

O corrupio é muito, quer para quem está a divertir-se quer para quem trabalha. Entre um e outro palco tivemos tempo para falar com os Beak>, a segunda banda de Geoff Barrow (que nos explicou por que razão os Portishead mandaram tirar uma versão de um tema dos ABBA da internet), almoçar ao lado de Peaches, trocar umas impressões com Dan Bejar (dos Destroyer) e passar por Erlend Øye sem o ver (quando nos disseram já tinha sido engolido pela multidão).

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Os festivais portugueses são os melhores e os mais baratos

    A época dos festivais começa esta quinta-feira com o Rock in Rio. Depois ainda há NOS Alive, NOS Primavera Sound, MEO Sudoeste, MEO Marés Vivas, Vodafone Paredes de Coura e dezenas de outros eventos que fazem o verão do nosso contentamento. Estes festivais são melhores ou piores que os de lá de fora? Vamos aos factos: os melhores artistas em digressão passam todos por cá e os bilhetes são os mais em conta. Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos. Para explicar o mundo