Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“Desejo que tenham uma filha mulher”

  • 333

GRITOS DE PROTESTO. “Estamos todas sangrando” foi um dos gritos de apoio mais ouvidos na sequência da publicação dos vídeos nas redes sociais

VANDERLEI ALMEIDA/AFP/Getty Images

A história da jovem de 16 anos que foi violada por 33 homens, que gravaram e partilharam aqueles momentos de horror, chocou o Brasil e o mundo. Apesar do apoio que tem recebido nas redes sociais e nos protestos de rua, a adolescente enfrenta agora um novo pesadelo: as reações de quem acha que estava a pedi-las. No Facebook, boa parte das “900 mil mensagens” que recebeu são ameaças de morte; na polícia, o investigador encarregado do caso ter-lhe-á perguntado se “gostou” do que aconteceu

Não há outra maneira de definir o relato que se segue: é uma história de terror. "Quando acordei, vi um rapaz debaixo de mim, outro por cima e dois que me seguravam dos lados. Pensei: vou morrer. Pronto, acabou".

Foram os pensamentos que vieram à cabeça da adolescente de 16 anos que foi na semana passada violada por 33 homens na Zona Oeste do Rio de Janeiro, numa casa "suja" do complexo de favelas São José Operário. Os agressores, que a terão drogado e violado enquanto estava inconsciente, estão agora a ser procurados pela polícia brasileira porque cometeram o erro crasso de gravar com orgulho o que estavam a fazer, partilhando depois os vídeos nas redes sociais. Um deles terá sido o namorado da vítima.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)