Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“Em matéria de costumes, sou bem mais à esquerda do que a maior parte das pessoas do meu partido”

  • 333

Cristovão Simão Ribeiro quando foi eleito líder da Juventude Social Democrata pela primeira vez

HUGO DELGADO / LUSA

À beira dos 30, Cristovão Simão Ribeiro, líder da JSD desde dezembro de 2014, antecipou o congresso (que se reúne este fim de semana em Leiria) para poder cumprir mais um mandato à frente da organização. Recandidata-se com um programa ambicioso que reclama mais igualdade de oportunidades para os jovens. Causas fraturantes, assume, não são a sua prioridade

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Jornalista da secção Política

Há poucas notícias sobre a JSD nos últimos anos. Longe vai o tempo em que a rebeldia das juventudes partidárias marcava a agenda política. Cristovão Ribeiro, atual presidente da organização e de novo candidato à liderança no congresso que decorre a partir desta sexta-feira em Leiria, reconhece que o impacto mediático das iniciativas da “jota” já não é o que era.

Aproveita os momentâneos holofotes para reclamar uma série de vitórias que obteve ao longo do mandato que agora termina e de que ninguém deu conta: o estatuto das ordens profissionais (evitando que estas fossem “um entrave salazarento ao acesso de um jovem à sua profissão”); a concessão de bolsas de ação social no ensino superior a jovens independentemente dos pais terem dívidas fiscais ou não; a instituição de um dia certo para o pagamentos as bolsas; a regulamentação de alguns profissões até aqui sem CAE (Classificação de Atividade Económica).

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)