Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

As verdades e as mentiras sobre o massacre em Cabo Verde

  • 333

ESTADO DE CHOQUE. O massacre de Monte Tchota, em Cabo Verde, é o pior de que há memória no país. Morreram onze pessoas - oito militares e três civis

iLUSTRAÇÃO tiago pereira santos

Um massacre é sempre um massacre. Mas muito se especulou sobre o assassinato de onze pessoas no posto militar de Monte Tchota, em Cabo Verde

Jorge Araújo

Jorge Araújo

Texto

Editor da E

Cabo Verde teve direito aos seus cinco minutos de fama terça-feira. Esteve no radar da imprensa, abriu noticiários de rádios e de televisões, teve lugar de destaque nas edições online dos principais jornais. Todos sabemos que quando isso acontece com um pequeno país nunca é pelas boas razões. Cabo Verde teve direito aos seus cinco minutos de fama porque houve um massacre em Monte Tchota, um posto militar em São Domingos, a cerca de 25 kms da capital.

As primeiras informações sabiam a pouco. Vamos por pontos. Ponto um: foram encontrados onze corpos atingidos por disparos de espingardas automáticas AKM. Ponto dois: dos onze mortos, oito eram militares e três civis. Ponto três: dos três civis assassinados, dois eram de nacionalidade espanhola. Ponto quatro: um militar continuava desaparecido. Ponto cinco: as autoridades montaram um perímetro de segurança em torno do aquartelamento e tentavam perceber o que tinha realmente acontecido.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)