Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Crónica de uma fotógrafa que viu polícias a carregar sobre polícias. Foi precisamente há 27 anos

  • 333

Rui ochôa

Há 27 anos, Portugal assistiu a um acontecimento inusitado: polícias a baterem em polícias, durante uma manifestação de protesto de agentes da PSP, no Terreiro do Paço, em Lisboa. A dar os primeiros passos na profissão, a fotojornalista Ana Baião esteve lá e conta a excitação profissional, o caos do acontecimento, no local e no jornal, e... as nódoas negras

A meio da tarde do dia 21 de abril de 1989, ao entrar na redação do jornal "O Século", na rua Augusta, gritam-me para ir a correr para a Praça do Comércio, porque havia uma manifestação de polícias. Semanas antes, tinha fotografado um encontro de agentes da PSP na Voz do Operário e sabia que eles preparavam algo. Jovem estagiária, a adrenalina fez-me correr, ao imaginar as grandes fotos que iria fazer!

Mas não estava preparada para o que vi! Acho que foi a primeira vez que fiquei sem saber o que fotografar primeiro: se os polícias fardados agarrados uns aos outros e completamente encharcados, se os carros da polícia de intervenção a lançar jatos de água sobre os seus colegas manifestantes, se os cães completamente desnorteados a ladrar a todos os que lhes passavam à frente. Havia repórteres por todos os lados, nunca tinha visto tantos!!

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Secos e molhados "foi o 25 de abril dos polícias"

    Dois polícias que estiveram na manifestação da PSP de abril de 1989 não acreditam que se vá repetir o episódio dos Secos e Molhados. "Na altura lutávamos pela liberdade, agora pelos nossos direitos, mas é sempre imprevísivel"

  • Polícias contra polícias, lembra-se? (fotogaleria)

    Em 1989 o país assistiu a um protesto que acabou com confrontos entre polícias. Hoje, tal como então, a PSP diz-se insatisfeita com as condições laborais e fala em greve. Recorde o protesto que ficou conhecido por "Secos e molhados", testemunhado e registado pelo Expresso.