Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

A PJ voltou à TAP (e não deve ficar por aqui). O que se está a passar?

  • 333

TAP. Presidente-executivo da empresa já tinha sido ouvido pelo Ministério Público por causa de negócios relacionados com a gestão da empresa

JOSÉ CARLOS CARVALHO

Buscas na companhia aérea esta sexta-feira não foram as primeiras. E não deverão ser as últimas. Em causa estará o negócio da compra da ex-VEM, empresa de manutenção e engenharia no Brasil. PJ continua a investigar

Há pelo menos três anos que a Polícia Judiciária está de olho nos negócios ruinosos da ex-VEM, empresa de manutenção da TAP no Brasil. As buscas realizadas esta sexta-feira nas instalações da companhia aérea portuguesa não foram as primeiras. E provavelmente não serão as últimas. “Não houve detidos mas a investigação continua”, diz ao Expresso uma fonte da PJ.

A meio da tarde desta sexta-feira, a Procuradoria-Geral da República confirmou a realização de buscas na TAP e na Parpública, por estarem “em causa suspeitas da prática dos crimes de administração danosa, participação económica em negócio, tráfico de influência, burla qualificada, corrupção e branqueamento.” Em comunicado, o gabinete de comunicação de Joana Marques Vidal revela que “os factos em investigação estão relacionados com o negócio de aquisição da empresa de manutenção e engenharia VEM”.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso)