Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Na Islândia cai o Governo, na Rússia não acontece nada

  • 333

COMO DIZ? O Presidente russo tem sido falado nos media internacionais pela investigação dos Panama Papers, mas no seu próprio país não há indignação

reuters

O caso Panama Leaks abana o mundo, mas as consequências variam consoante se está em Reiquejavique, Moscovo ou até Paris. Maiores alterações podem ser no mundo financeiro, e não no da política

Cátia Bruno

Cátia Bruno

Jornalista

Andri Sigurðsson não tem dúvidas: “A manifestação de ontem foi uma das maiores da história da Islândia.” Este webdesigner de Reiquejavique sabe do que fala: participante ativo nas manifestações de 2009, após o colapso financeiro no país, foi também um dos organizadores do movimento Vor’14, uma série de protestos em 2014 para exigir um referendo relativamente à entrada da Islândia na UE.

Sigurðsson passou a tarde desta segunda-feira em frente ao Althing, o Parlamento islandês. “Éramos quase 20 mil pessoas, a praça estava cheia, tão cheia que algumas pessoas nem sequer conseguiram entrar na praça”, conta o islandês ao Expresso pelo telefone. “Eu estava à frente, porque estava a ajudar na organização, e consegui absorver verdadeiramente o ambiente. Havia mais gente do que em 2009, porque nessa altura os protestos foram espalhados pelo tempo e desta vez concentraram-se ontem. Há mais raiva agora”, arrisca dizer o islandês.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso)

  • Governo islandês demite-se devido ao Panama Papers

    Primeiro-ministro da Islândia pediu ao presidente para dissolver o parlamento depois de o seu nome ter sido associado ao caso, com alegações de que Sigmundur David Gunnlaugsson e a sua mulher detêm secretamente uma empresa offshore com sede em Tortola, nas Ilhas Virgens Britânicas