Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Recuo do ministro na avaliação aplaudido por diretores

  • 333

Passos Coelho insinuou que Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, representa interesses alheios ao Governo.

ALBERTO FRIAS

A um dia do final do 2º período, Tiago Brandão Rodrigues anunciou as datas das novas provas de aferição. Mas este ano não serão obrigatórias. Cada escola fará como entender. Há elogios à medida, mas também críticas à instabilidade causada

Quando todos estavam à espera de saber as datas em que se realizariam as novas provas de aferição no 2º, 5º e 8º, anunciadas em janeiro como obrigatórias e em substituição da avaliação por exames nacionais no 4º e no 6º, o ministro da Educação informou esta quinta-feira que apenas as escolas que quiserem avançarão já com este novo modelo.

Os estabelecimentos de ensino que optarem por as realizar só em 2016/2017 têm de comunicar ao Júri Nacional de Exames essa intenção, devidamente fundamentada e depois de ouvido o respetivo conselho pedagógico. Este será, afinal, um ano de transição.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI