Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

5 razões para o BCE agir já, mas sem esperar milagres

  • 333

PRESSÃO. Com a inflação novamente negativa, Mario Draghi está praticamente obrigado a voltar a carregar no acelerador

VINCENT KESSLER/REUTERS

A pressão para que o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, anuncie novas medidas amanhã é cada vez maior. A situação económica justifica-o e as atuais medidas não estão a chegar à economia. É hora de reforçar a dose, mas não se esperam grandes melhorias

A expectativa de que Mario Draghi tome medidas novas na reunião de amanhã tem crescido nas últimas semanas. São cada vez mais os especialistas a acreditar que é inevitável o Banco Central Europeu (BCE) voltar a carregar no acelerador, e o debate centra-se agora nas armas a utilizar. Os últimos indicadores não são nada animadores e, com a inflação na zona euro novamente em terreno negativo, não parece haver grande margem para Draghi e os seus pares ficarem de braços cruzados.

Apesar da dose de estímulos dos últimos meses, que acelerou em março do ano passado com o arranque do programa de compra de ativos, a economia continua sem descolar e o sistema financeiro não está a servir, como se esperaria, de canal de transmissão da política monetária.

O que se espera de Draghi é que, no fundo, faça mais ou menos o que já tem feito. Mas com maior eficácia. Esperam-se, essencialmente, dois tipos de medidas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI