Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Flores voltam a ser atiradas para o rio Douro

  • 333

2016. Irmã do motorista do autocarro que caiu da ponte matando 53 pessoas acende uma vela em memória das vítimas

rui duarte silva

Quinze anos após a queda de parte do tabuleiro da ponte Hintze Ribeiro, em Entre-os-Rios, familiares das 59 vítimas voltam esta sexta-feira às margens do Douro, para lhes prestar homenagem. Uma dor tão grande que o tempo não mata

Todos os anos, a 4 de março, um grupo de familiares das vítimas da tragédia de Entre-os-Rios param para recordar quem já não está. Faltam 59 pessoas e, destas, há 36 corpos que nunca foram recuperados.

Este ano, tudo vai começar, esta sexta-feira, por uma visita ao Centro de Acolhimento construído e gerido pela Associação de Familiares das Vítimas da Tragédia de Entre-os-Rios. A seguir, haverá uma missa solene na paróquia de Travanca, concelho de Cinfães, de onde uma das vítimas era originária e que, nestes 15 anos, ainda não tinha sido cenário de qualquer cerimónia religiosa.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI