Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Apple vs FBI: O que está em causa

  • 333

DESAFIANTE. Tim Cook, o CEO da Apple, não se rende no braço de ferro com o FBI

ECK DIEFENBACH/REUTERS

O gigante tecnológico e a agência de investigação criminal continuam em pé de guerra por causa do acesso ao iPhone usado por um dos atiradores de San Bernardino, na Califórnia, que, em dezembro, assassinaram 14 pessoas. Oferecemos algumas pistas para descodificar este caso, que dia 22 de março começa a ser esgrimido no tribunal federal de Riverside, a poucos quilómetros da zona do massacre

Até que ponto pode um governo exigir a uma empresa privada que crie um software para contornar as definições de segurança de um smartphone criado por ela própria, com o argumento de que é preciso abdicar de um pouco de privacidade para ter mais segurança? E até que ponto pode a empresa recusar esse pedido, dificultando a investigação de um tiroteio que resultou na morte de 14 pessoas, com o argumento de que, se o fizer, abrirá a porta para comprometer a privacidade de milhões de pessoas em todo o mundo?

O recusa da Apple em ajudar os investigadores do FBI a entrar no iPhone de um dos atiradores de San Bernardino tem provocado um intenso debate sobre os limites da privacidade e da segurança. E, pelo menos no tribunal da opinião pública, a agência federal leva vantagem: segundo várias sondagens, uma ligeira maioria dos americanos acha que a Apple deveria honrar o pedido do FBI.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI