Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Cada um por si

  • 333

JUNTOS? A ministra do Interior e o ministro dos Negócios Estrangeiros austríacos antes da abertura dos trabalhos do fórum de Viena

LEONHARD FOEGER / REUTERS

As decisões unilaterais dos países relativamente ao acolhimento de refugiados estão a dividir a Europa. Grécia fala em “golpe” enquanto os Balcãs ocidentais justificam as suas decisões com a ausência de um consenso europeu. Devagar, a circulação vai deixando de ser livre

Cristina Peres

Cristina Peres

Jornalista de Internacional

A Grécia não expressou nenhum interesse em reduzir o fluxo [de migrantes] continuando, pelo contrário, a fazê-los passar” para a ex-República Jugoslava da Macedónia, declarou Sebastian Kurz, citado esta quarta-feira pelo site do diário grego Ekathimarini.com.

O ministro austríaco dos Negócios Estrangeiros defendia com este argumento a decisão de Viena de não convidar a Grécia para participar na conferência que tem lugar esta quarta-feira na capital vienense. Os chefes da diplomacia das nações dos Balcãs ocidentais reúnem-se com o da Áustria a fim de, “juntos”, encontrarem soluções para a gestão da crise dos migrantes.

Gerindo a Migração Juntos (Managing Migration Together) é o nome dado ao encontro que os meios de comunicação internacionais classificam como “estranho” uma vez que nem o país de entrada - Grécia - nem o país de destino - Alemanha - dos refugiados e migrantes estarão presentes na reunião.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI