Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Vamos ter o pior défice da zona euro

  • 333

ESTAMOS ENTENDIDOS? António Costa com a chanceler alemã, Angela Merkel, na cimeira de 17 de dezembro

YVES HERMAN/REUTERS

No dia em que o Governo aprovou finalmente o Orçamento do Estado para 2016, o Fundo Monetário Internacional alertou para riscos de derrapagem das contas públicas portuguesas e a Comissão Europeia diz que não há outro país do euro cujo défice derrape tanto como o português

Independentemente das décimas e das datas que separam as projeções do Governo e de Bruxelas quanto às contas públicas para 2016, as previsões económicas de inverno reveladas hoje pela Comissão Europeia trazem más notícias para a margem orçamental que o país espera ganhar na área do euro.

Entre os 19 países da moeda única, é em Portugal que a Comissão Europeia espera o pior défice orçamental em 2017 (-3,5% do PIB). Este ano, a estimativa para o défice português é de 3,4% do PIB, só atrás dos vizinhos espanhóis (3,6% do PIB), que entretanto deverão corrigir o desequilíbrio nas contas públicas para 2,6% do PIB já em 2017. A média do euro mostra a rota inversa, com o défice a descer de 1,9% do PIB em 2016 para 1,6% do PIB em 2017.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI

  • Moscovici: “Propostas do Governo vão no bom sentido”, mas ainda há trabalho a fazer

    Comissário para os Assuntos Económicos espera acordo nas próximas horas. E no dia em que Bruxelas agravou as previsões económicas para Portugal, o comissário faz uma ressalva: “Os números apresentados nas previsões desta quinta-feira refletem a análise feita na semana passada sobre o esboço de Orçamento. Não têm em conta as negociações em curso e, por isso, aconselho prudência a utilizá-las”

  • FMI faz contas: défice de 2016 ficará em 3,2%

    Com uma dívida pública perto de 130% do PIB, a missão do Fundo Monetário Internacional sublinha que há “pouca margem para a flexibilização da orientação da política orçamental”. Custos orçamentais adicionais, situação da banca, elevada dívida das empresas, subida do salário mínimo preocupam técnicos do FMI

  • Novas medidas de austeridade valem €675 milhões

    Segundo os cálculos do Executivo, a reposição de rendimentos das famílias prevista no Orçamento do Estado supera largamente o valor dos aumentos de impostos e taxas decididos nos últimos dias para corresponder às exigências de Bruxelas