Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Salário dificulta escolha do novo presidente da Caixa

  • 333

DE SAÍDA O presidente da Caixa Geral de Depósitos, José de Matos

FOTO PAULO ALEXANDRINO

A administração liderada por José de Matos já chegou ao fim e tudo indica que parte irá ser substituída. Ao que o Expresso apurou, foram já convidados Esmeralda Dourado e o ex-secretário de Estado Carlos Costa Pina. Mas o salário que é oferecido é curto e isso está a dificultar a vida ao Ministério das Finanças. O presidente da Caixa recebe atualmente 16.578 euros

A presidência da Caixa Geral de Depósitos (CGD) já foi mais apelativa, os cortes impostos aos funcionários públicos no âmbito da intervenção limitaram em muitos os salários pagos pelo banco público, e hoje o presidente da Caixa ganha 16.578 euros brutos. É um salário bem abaixo do auferido pelos seus concorrentes da banca privada. Não está, por isso, a ser fácil ao Governo de António Costa e ao Ministério das Finanças, de Mário Centeno, encontrar um substituto para José de Matos, quadro do Banco de Portugal e o homem escolhido por Pedro Passos Coelho e pelo ex-ministro das Finanças Vítor Gaspar para liderar o banco público quando o país estava sob intervenção.

O mandato da atual equipa terminou em dezembro, e o Governo já está à procura de substitutos pelo menos para o presidente e o vice-presidente, Nuno Fernandes Thomas. Foram endereçados convites ao ex-secretário de Estado do Tesouro do PS Carlos Costa Pina, hoje administrador da Galp, e a Esmeralda Dourado, ex-presidente do grupo SAG e ex-quadro do Citibank, soube o Expresso. Costa Pina não aceitou o convite e, contactado, pelo preferiu não comentar. Não foi ainda possível obter um comentário de Esmeralda Dourado, nem confirmar se estaria ou não disponível para aceitar o cargo.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI