Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Semana intensa termina com cautela

  • 333

CUMPRIDORA Janet Yellen, presidente da Fed, cumpriu e subiu as taxas de juro, o que não se via há uma década. Foi um alívio para os investidores

JONATHAN ERNST/REUTERS

A semana acaba em tom de cautela. Os investidores estiveram hoje mais adversos ao risco. A Bolsa de Lisboa foi exceção e fechou a subir

Depois da euforia no seguimento do anúncio da Reserva Federal norte-americana, na quarta-feira, o dia hoje foi negativo para ativos de maior risco, como as ações. Hoje não é uma sexta-feira qualquer. É dia de 'quadruple witching'. Vencem opções e futuros sobre índices e ações. O ano está a acabar. A Reserva Federal subiu finalmente as taxas de juro nos Estados Unidos. Mas a semana acaba em tom de cautela. Depois de subidas nas Bolsas após a decisão da Fed, na quarta-feira, hoje os investidores preferiram realizar lucros. Na Europa, o índice FTSEurofirst 300 fechou hoje a cair 0,98%. Nos EUA, o dia está a ser negativo. Em Lisboa, o PSI-20 subiu 0,62%.

O preço do petróleo, em queda, afeta as empresas do sector de energia. “A aproximação aos mínimos anuais na cotação do petróleo tem levado a underperformances de várias cotadas, especialmente as mais dependentes dos preços das matérias-primas, ainda assim parcialmente compensadas pela depreciação do par cambial euro/dólar”, diz Pedro Ricardo Santos, gestor da XTB Portugal. “Como tenho vindo a referir, devido à aproximação do período de Christmas Hollidays, muitos investidores começam a encerrar posições ganhadoras, acabando por provocar movimentos massivos de venda”, diz.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI