Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Viagem à maior nação do mundo

  • 333

O que falta fazer ao homem que, aos 30 anos, é o 14º mais rico e conquistou 1,393 mil milhões de utilizadores? Numa visita exclusiva à sede do Facebook em Menlo Park, Silicon Valley, fomos perceber o que vai na cabeça de Mark Zuckerberg e como se trabalha na empresa mais ambiciosa do planeta (ao longo dos próximos dias vamos lançar um conjunto de textos da Revista do Expresso que foram publicados no último ano - esta reportagem é de 14 de fevereiro)

Mafalda Anjos

Mafalda Anjos

Em São Francisco

Editora da E

O cartaz azul com o polegar espetado não deixa margem para dúvidas. É ali a Hacker Way, nº 1, morada da sede do Facebook no Silicon Valley, São Francisco.

O nome da rua não é casual: daqui para a frente, quem entra no campus tem de mudar o chip para o modo "hack". A palavra está em todo o lado nos 93 mil metros quadrados do campus: nos garridos cartazes gráficos colados nas paredes, nas enormes instalações artísticas e pormenores decorativos, nos nomes dos edifícios e até no pavimento da praça central em escala tão gigante que só é visível do céu e, quem sabe, do espaço.

O tamanho das letras no chão ilustra não só o espírito irreverente e de desafio constante que quer para a empresa, mas também a dimensão da ambição de Mark Zuckerberg, o jovem cérebro que criou há 11 anos a maior rede social do mundo num dormitório da universidade de Harvard e que se transformou no 14º homem mais rico do mundo. Para Zuck, o céu é o limite.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI