Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Esquerda e direita não se entendem no Conselho de Estado: a história da polémica

  • 333

PRESIDENTE. Conselho de Estado é o órgão consultivo, mas Cavaco não o usou muito

nuno botelho

A pouco mais de uma semana de o Parlamento escolher os cinco nomes para o órgão consultivo do Presidente da República, direita e esquerda não se entendem. PS dá lugar ao Bloco e ao PCP, PSD quer três nomes - tantos quanto a esquerda exige. Mas só há cinco lugares...

Bernardo Ferrão

Bernardo Ferrão

Subdiretor da SIC

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Jornalista da secção Política

António Costa, que chamou a si o processo negocial da lista para o Conselho de Estado, tentou uma solução de consenso que distribuísse igualmente pelos cinco maiores partidos parlamentares os lugares que cabem à Assembleia da República no órgão consultivo do Presidente da República. Mas falhou. O PSD insiste em manter a tradição que diz que a maior bancada indica três dos cinco nomes. E os sociais-democratas têm mais deputados que os socialistas, 89 contra 86, o que fortalece a posição laranja.

Falhada a lista consensual, seguem-se duas listas - uma à esquerda e outra à direita - que serão votadas no próximo dia 18. E o Expresso apurou que, embora ainda nada esteja fechado, o mais provável é que o PS fique com apenas um lugar elegível e ceda os restantes dois aos seus parceiros à esquerda. Assim sendo, a lista seria liderada por um nome socialista, seguido por um do BE e depois um do PCP. Os representantes da AR no Conselho de Estado serão aqueles que resultarem da distribuição proporcional dos votos nas duas listas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI