Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Ataque falhado em Londres volta a colocar Leyton no mapa do terrorismo

  • 333

ENCERRADA. Entrada da estação de metropolitano de Leytonstone, zona este de Londres, onde foram feridas duas pessoas na tarde de sábado

NEIL HALL/reuteres

Muhaydin Mire, o homem de 29 anos que esfaqueou duas pessoas no sábado no metro de Londres, vivia no bairro onde se radicalizou o grupo de jiadistas portugueses que combate na Síria. Tinha imagens do conflito da Síria no telemóvel

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

A Sanson Road é uma rua pacata, dominada por edifícios de tijoleira iguais a tantos outros da zona Este e afastada das principais lojas, casas de kebab e mesquitas do ‘Londonistão’, designação pejorativa dada aos arredores da capital onde habita a comunidade muçulmana.

Era ali que morava Muhaydin Mire, o homem de 29 anos que esfaqueou duas pessoas, uma delas com gravidade, sábado à tarde na estação de metro de Leytonstone. “Isto é pela Síria” e “Todo o vosso sangue será derramado”, gritou Mire durante o ataque falhado, que foi filmado por telemóveis de passageiros que se encontravam no local. As equipas de contraterrorismo britânicas querem saber se o atacante agiu isoladamente ou teve apoio de alguma célula local.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI