Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Teoria de Einstein “mantém-se hoje inultrapassada”

  • 333

ATUALIDADE. A Teoria da Relatividade Geral de Einstein é ainda hoje a base da investigação sobre a natureza do Universo

getty

Hoje, quarta-feira, comemoram-se os 100 anos da primeira apresentação pública da Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein, em Berlim. Mas a teoria do famoso físico teórico alemão mantém–se atual e há muitos cientistas que se baseiam nela no seu trabalho de investigação

Virgílio Azevedo

Virgílio Azevedo

Redator Principal

Carlos Fiolhais, professor catedrático de Física da Universidade de Coimbra e coordenador da Comissão Nacional do Ano Internacional da Luz, afirma em artigo de opinião publicado nesta edição do Expresso Diário (ver texto em baixo) que a teoria de Einstein “mantém–se inultrapassada nos dias de hoje”. Com efeito, nos últimos cem anos “acumulou–se todo um manancial de dados observacionais e experimentais que a corroboram” e nada na cosmologia pode ser entendido sem essa teoria.

Claro que há ainda confirmações por fazer, “como a das ondas gravitacionais, para as quais existe evidência indireta, mas não direta”. Ou ainda falta “juntar a Teoria da Relatividade Geral com a Teoria Quântica”, uma teoria de tudo que permita unificar a descrição das quatro forças fundamentais da Natureza: gravidade, eletromagnética, nuclear forte e nuclear fraca. Mas a verdade é que as aplicações da Teoria da Relatividade Restrita incluem hoje áreas tão diversas como a energia nuclear ou os exames PET nos hospitais. “E o GPS omnipresente não poderia funcionar sem atender à Relatividade Geral, designadamente ao facto de relógios a bordo de satélites se adiantarem por estarem sujeitos a uma gravidade mais fraca do que à superfície da Terra”, assinala Carlos Fiolhais.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI

  • Einstein Superstar

    Amanhã, quarta–feira, celebram–se os 100 anos da apresentação pública da Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein, que aconteceu na Academia Prussiana das Ciências, em Berlim, a 25 de novembro de 1915. A famosa teoria mantém-se atual e cientistas de todo o mundo, incluindo de Portugal, continuam a basear–se nela para investigarem os segredos do cosmos