Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Passou pela vida como um furacão e partiu como um relâmpago

  • 333

CULTURA Paulo Cunha e Silva impôs um ritmo alucinante e uma grande criatividade no modo de gerir a cultura de uma cidade

FOTOS RUI DUARTE SILVA

Paulo Cunha e Silva, vereador da cultura da Câmara Municipal do Porto, morre aos 53 anos, vítima de ataque cardíaco

Ontem à noite, minutos antes de iniciar uma viagem sem retorno, Paulo Cunha e Silva estava em Serralves. Era a abertura do ciclo dedicado à apresentação da integral da obra de Manoel de Oliveira e o vereador da cultura da Câmara do Porto fez questão de estar presente. Era o início de uma longa maratona dedicada à obra de um homem que muito admirava. Mas podia ser uma atividade numa obscura associação de um bairro social, a abertura de um colóquio com personalidades internacionais, o debate com gente das ciências, o encontro com dinamizadores da cultura popular.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI

  • Paulo Cunha e Silva: Ecos de Lisboa

    A morte inesperada de Paulo Cunha e Silva, vítima de ataque cardíaco com 53 anos, chocou toda a comunidade cultural e artística nacional. O Expresso recolheu testemunhos de várias vozes que com ele privaram e nos dão eco de como o trabalho do vereador da Cultura do Porto foi acompanhado em Lisboa