Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Uma vila vestida de palavras

  • 333

TRANVERSAL Foram onze dias com programação para todas as idades

d.r.

Em Óbidos, 30 mil pessoas acorreram à primeira edição do Folio, primeira estação de um projeto maior, que muda a identidade da vila e a transforma em destino literário

Foram 30 mil as pessoas que acorreram ao Folio — Festival Literário Internacional de Óbidos, cuja primeira edição acabou este fim de semana. O número refere-se aos onze dias ininterruptos de atividades que, literalmente, tomaram conta da vila desde a abertura do evento, a 15 de outubro. O programa prometia e ofereceu a presença de 200 autores, 56 ilustradores e um total 459 criadores em 37 conferências, 36 espetáculos e 14 exposições. Porém, o Folio é em si mesmo apenas um primeiro passo no lançamento de um projeto bem maior: o da transformação de Óbidos em vila literária.

A realidade sobre essa metamorfose só será conhecida a 11 de dezembro, quando a UNESCO divulgar os resultados das candidaturas à sua Rede de Cidades Literárias. Óbidos está entre as aspirantes e pode vir a tornar-se a 12ª — existem onze, entre as quais Edimburgo, Cracóvia, Dublin, Granada, Melbourne, Reiquiavique ou Iowa, classificadas pela UNESCO por “perseguirem a excelência no campo da literatura a nível local, envolvendo os cidadãos na cultura dinâmica das palavras”. Os números e a experiência do Folio já estão a ser remetidos para a sede daquela organização afim de alimentar a candidatura portuguesa.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI