Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Três governos por ano, de 1910 a 1926

  • 333

PORTO. Proclamação da República FOTO ALVAO

FOTO ALVAO

Há dois mitos que se impõe desfazer: que vivemos tempos de perigosa instabilidade política e que sempre fomos um povo de brandos costumes. Basta lembrarmo-nos da I República

Nos últimos dias falou-se muito em traições, conspirações e golpes institucionais. No entanto, vistas da História, estas vicissitudes do Portugal contemporâneo nada são comparadas com aquilo que se passou, por exemplo, durante a I República. Vale, portanto, a pena, olhar para este passado.

Com a chegada ao poder, a 5 de Outubro de 1910, acentuam-se as divisões republicanas. À esquerda, apoiado no eleitorado urbano mais politizado, Afonso Costa. Ao centro, o republicanismo moderado, de António José de Almeida. A ala conservadora tinha como figura central Brito Camacho.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI