Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

A solidão do homem perante uma mulher de sucesso

  • 333

PARTILHA. Em pleno século XXI, muitas norte-americanas acreditam que para manter uma carreira de sucesso precisam de encontrar um companheiro que aceite secundarizar a própria vida profissional

corbis

Anne-Marie Slaughter, ex-assessora de Hillary Clinton, que largou Washington para voltar para casa, lança um livro polémico sobre o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. E o marido sai da sombra para contar o que sentiu ao ter-lhe cedido o palco

As feministas não gostaram quando, em 2012, Anne-Marie Slaughter, a mulher com nome de assassina, deu um murro na mesa, baixou os braços e desistiu. Mas Slaughter não o fez sem estrondo. Ao desistir de uma carreira de sucesso, fez soar o grito que se tornou célebre: “As mulheres não podem ter tudo!”

Num polémico artigo na conceituada revista “The Atlantic”, Anne-Marie Slaughter deixou um testemunho inequívoco e, por isso, incómodo. Assumiu-se como um exemplo da dificuldade em conciliar a vida profissional com uma ambiciosa carreira de sucesso. Para trás deixava Washington, o centro do poder mundial, e um cargo nunca antes ocupado por uma mulher — diretora de planeamento político de Hillary Clinton, então secretária de Estado norte-americana. Slaughter voltou para casa, em Princeton, para o marido e os dois filhos, porque o mais velho passava por um início de adolescência turbulento.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI