Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Luaty Beirão, um grão na engrenagem do regime

  • 333

d.r.

Face à “indisponibilidade momentânea” de José Eduardo dos Santos, foi o vice-Presidente, Manuel Vicente, quem fez esta quinta-feira o discurso de abertura da Assembleia Nacional. De Vicente ao seu MNE, surgem em Luanda as primeiras reações oficiais às críticas ao regime a propósito da situação de 15 ativistas detidos em junho, um dos quais, Luaty Beirão, está há 25 dias em greve da fome

As primeiras reações públicas de figuras do regime angolano à detenção de 15 ativistas detidos desde junho surgiram esta quinta-feira, primeiro pela voz do ministro dos Negócios Estrangeiros, Georges Chikoti, e depois pela do vice-Presidente, Manuel Vicente. À entrada da cerimónia oficial da abertura da Assembleia Nacional, Chikoti invocou a detenção preventiva do ex-primeiro-ministro português José Sócrates para explicar a situação dos 15 ativistas detidos em Luanda. “O caso de Portugal, onde o [ex-] primeiro-ministro [José] Sócrates está há nove meses em prisão preventiva [entretanto passou a prisão domiciliária] também. Então, este é um recurso ou é uma previsão da lei? A lei prevê que enquanto se quer investigar muito mais um caso, pode-se durar. Depois vai haver o momento da condenação”, afirmou Chikoti.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI