Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Bens da família Espírito Santo ficam à espera de quem os exija (daqui a anos)

  • 333

INVESTIGAÇÃO As megaoperações policiais ao universo Espírito Santo visam salvaguardar os lesados do BES

NUNO BOTELHO

Património dos Espírito Santo pode ser “derretido” para indemnizar clientes de obrigações do BES e de papel comercial do GES. Em causa garantias para indemnizações que podem chegar quase aos dois mil milhões de euros

Garantia de pagamento de valor de cerca de 1 835 000 000,00 de euros”. 1,835 mil milhões de euros. É o que está em causa no arresto de parte do património da família Espírito Santo, segundo documentos a que o Expresso Diário teve acesso. Há vários meses que a Justiça tem arrestado património de membros da família Espírito Santo, para prevenir eventuais indemnizações que o tribunal venha a validar no futuro. Um futuro que pode demorar anos, desde a entrada de processos ao trânsito em julgado. Hoje, mais uma série de ações de arresto tiveram lugar, em escritórios e residência particulares. 


Para continuar a ler o artigo, clique AQUI

  • A queda de um Santo, por Pedro Santos Guerreiro

    Ricardo Salgado acaba mal e acaba só. O grande banqueiro era afinal péssimo gestor, arruinou um grupo familiar de 145 anos e saiu expulso do BES. Mas não há vazios de poder: quem dominará agora? Quem vai ser o Dono Disto Tudo? Este texto, que acaba de ser distinguido com o prémio de jornalismo económico Santander / Universidade Nova de Lisboa e que o Expresso agora republica, propõe uma resposta

  • Hélder Bataglia, o homem da Escom e do GES em Angola

    O empresário luso-angolano parceiro do grupo Espírito Santo na Escom está debaixo do fogo por causa de Vale do Lobo e das novas suspeitas sobre o pagamento de luvas a José Sócrates. Foi ele que convenceu Salgado a abrir o BESA em Angola e que fez da Escom o principal instrumento dos negócios do GES em Luanda