Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Começou Pharol, virou pharolim

  • 333

José Carlos Carvalho

Em pouco mais de duas semanas, a Pharol caiu 25% em Bolsa. O mercado deu-se finalmente conta. A PT já não é a PT. E o reembolso da Rioforte vale zero. Fazendo as contas, há analistas que apontam que a empresa pode estar a negociar em Bolsa a um valor justo: €340 milhões. (Não quer dizer que vá parar de cair)

O que é a nova PT, agora chamada Pharol? Vale a pena começar por aqui para perceber porque tem caído tanto em Bolsa. É uma holding, sem qualquer tipo de operação, receitas ou EBITDA.  O maior ativo da Pharol é a posição de 27% na brasileira Oi. Depois,  é detentora de uma dívida de €897 milhões da Rioforte. Até ver, dificilmente recuperável (o mercado atribui-lhe um valor de zero). Pela positiva, tem uma posição líquida de caixa. Pela negativa, tem custos. E prejuízos. No primeiro trimestre a empresa teve prejuízos de €43 milhões, devido à perda de €28 milhões correspondente  à participação efectiva da Pharol (22,8%) no prejuízo da Oi. E uma perda de €10 milhões correspondente ao impacto da alteração da participação efectiva da PT SGPS na Oi, no âmbito da execução da permuta. 


Para continuar a ler o artigo, clique AQUI