15
Anterior
Vídeo: mulher atira gato para o caixote do lixo mas conserva a estupidez
Seguinte
Vídeo da vingança: gato atira mulher para o caixote do lixo
Página Inicial   >  Blogues  >  100 reféns  >  "Doidos para ir às fuças a Mary"

"Doidos para ir às fuças a Mary"

"Não percebo porquê tanta confusão. É apenas um gato" - disse Mary Bale. Ainda admiti que se tivesse tratado de um acto irreflectido. Um acesso de loucura momentâneo filmado por mero acaso. Mas não. A mulher é mesmo imbecil.
|

Mary Bale, de Coventry - Inglaterra, achou que um gato sentado no muro era inestético. Ficava melhor arrumadinho dentro do caixote do lixo, no quentinho. E assim foi. Teve azar, foi filmada e acabou no Youtube. Até aqui tudo bem, ou tudo mal, mas deparei-me com uma afirmação da senhora citada pelo The Guardian: "não percebo porquê tanta confusão, é apenas um gato".

Sou obrigado a concordar com Mary: não percebo o porquê de tanta confusão. Afinal trata-se "apenas" de uma besta que por acaso dá pelo nome de Mary. Daria até uma boa sequela do filme "Doidos por Mary". E tendo em conta a onda de solidariedade negativa que conseguiu gerar podiam chamar-lhe "Doidos para ir às fuças a Mary".

Faz alguma confusão não se saber ao certo quantos felinos terão tido o "imundo" destino durante a carreira (quiçá longa) de Mary como trabalhadora dos serviços municipalizados daquele Council. Isto apesar de se saber que Mary trabalha afinal no Bank of Scotland. Ou seja, isto dos gatos no lixo é apenas part-time ou hobbie. Faz fechos de caixa e conta os cheques no Banco até meio da tarde e depois fecha gatos e deixa-os à sua sorte no meio do lixo durante o resto do dia.

Nos feriados provavelmente abate cães com um zagalote e espeta pregos nas órbitas de pequenos póneis. Isto quando não lhe dá para fazer uma cabidela de esquilo. But who cares? São "apenas" cães, póneis e esquilos. Não é razão para críticas à Mary. Afinal de contas um pónei nem sequer é um cavalo, é uma espécie de meio cavalo com muito pêlo. E um esquilo é "apenas" um rato com rabo farfalhudo. No fundo ao limpar-lhes o "sarampo" a Mary está a trabalhar em prol da comunidade. É uma boa samaritana. E a cauda do bicho sempre dá para limpar a colecção de vinis dos Beatles.

Sem contar que a cabidela de esquilo deixa o maridão contente. Facto que ajuda Mary a não apanhar tanto no pêlo. Pelo menos durante umas horas. Há ainda quem diga que a carne deste animal é afrodisíaca. A ser verdade ajudaria a boa da Mary a avistar um outro bicho. Bicho este a quem deduzo que Mary não faça umas festinhas há algum tempo, o que em boa medida ajuda a explicar a frustração.

Algumas gritam que é um exagero: que há quem se preocupe mais com a atitude da "pobre" Mary do que com os sem abrigo e outras pessoas desafortunadas. Ou seja, desculpabilizam a senhora e baralham tudo. O respeito pelos animais nada tem a ver com o respeito que qualquer ser humano deve ter pelo outro. A não ser para quem acha que meter um gato no lixo é um "apenas". Nesse caso serão tão estúpidos quanto Mary.

Acho até que alguns animais merecem bem mais respeito do que certas pessoas. E nunca vi os homens do lixo enfiarem um sem abrigo no contentor. E sem hipocrisias, alguns arrumadores que por aí andam ficavam bem melhor no caixote do que este pobre gato.


Opinião


Multimédia

Retrato político de um país livre

Traçámos um mapa partindo dos resultados das eleições para a Assembleia Constituinte de 1975 e dos resultados das últimas eleições legislativas em 2011. O que mudou ao longo desse tempo? Como é que cada concelho votou em 1975 e em 2011? E como evoluiu a abstenção? Clicando sobre o ano e depois sobre os concelhos, no mapa ou no filtro, surgem as respostas.

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.


Comentários 15 Comentar
ordenar por:
mais votados
Ela ainda não foi ao castigo? Que pena!
Esta louca monstruosa devia ser metida num contentor do lixo para entender o que é estar fechada pronta a ir para a lixeira.

Alguém que more perto dela pode organizar-se para lhe dar a lição de que ela precisa.

Ficamos à espera de ver o vídeo no Youtube.
Re: Ela ainda não foi ao castigo? Que pena!
Re: Ela ainda não foi ao castigo? Que pena!
Alguém q me entenda
"Algumas gritam que é um exagero: que há quem se preocupe mais com a atitude da "pobre" Mary do que com os sem abrigo e outras pessoas desafortunadas. Ou seja, desculpabilizam a senhora e baralham tudo. O respeito pelos animais nada tem a ver com o respeito que qualquer ser humano deve ter pelo outro. A não ser para quem acha que meter um gato no lixo é um "apenas". Nesse caso serão tão estúpidos quanto Mary."

Relativamente a este assunto, nomeadamente ao facto de ter havido um utilizador do Facebook a fazer um comentário idêntico ao que acima cito, a minha resposta foi: "uma coisa é uma coisa e uma outra coisa é uma outra coisa", mas parece que a criatura não entendeu.
Tal como um outro utilizador de Facebook recorreu ao facto de ser vegetariano para criticar os que defendiam o pobre do gato não se importando de ter uma pela pluma de porco preto no prato.
Acho as comparações rídiculas. E tudo tem limites, até o ridículo.

Tanta coisa por um gato fechado
existem coisas bem piores neste mundo demente...
Louvável...
São sempre louváveis para mim as suas crónicas que abordam assuntos sérios com «qb» de ironía e humor negro.

Nada tenho a dizer mais sobre esta senhora,a não ser que tenha confundido o gato com um «triturador de lixo».
ganda naice
Aquilo que a gente pensa,só que muito bem escrito.
764% de acordo com oTiago.
onde tiramos a senha?
desculpem, mas eu só quero mesmo saber onde tiro a senha para ir "às fuças à Mary"
Mas ainda se fala nisto?
Pá ainda a falar na mesma coisa? Por amor de deus, não quero ser arrogante ou ofensivo, mas tenho de ser honesto e dizer que este artigo é ridículo.

Estamos tão obcecados em manobras de diversão que nos ocupamos por dias e dias com uma senhora que meteu um gato num caixote do lixo?

E a comida que comemos, de animais que não passam 15 horas num caixote do lixo mas VIDAS inteiras num espaço que não é grande o suficiente para se mexerem? Não conta, não vale a pena falar, suponho,... porque afinal de contas um gato é mais querido...
Este é um dos raríssimos casos em que o ...
..sensacionalismo mediático é útili e não ideota! Porque tem a virtude de demonstrar a capacidade de o ser humano atingir níveis de atraso e imbecilidade que nenhum animal (irracional) seria capaz de atingir!

Há cosias bem piores não há? Há sim senhor! Mas significa isso que fiquemos à espera que a pior coisa do mundo aconteça ... para a denunciar?!

"By the way", ainda há alguns tempos atrás presenciei duas situações chocantes numa das zonas mais ricas e "chiques" do País, a Linha de Cascais: um Caniche abandonado em plena autoestrada e um gato esquelético arrastando-se pelo passeio marítimo de Oeiras!

Ou seja: a globalização da estupidez já chegou cá ao rectângulo!
e o caixote do lixo dos jornalistas?
"alguns arrumadores que por aí andam ficavam bem melhor no caixote do que este pobre gato" - pois é, eles não sabem o lugar que lhes pertence na sociedade, estão abaixo dos gatos na escala do jornalista ou comentador ou-lá-o-que-é... ou seja, Tiago Mesquita, para condenar uma atitude (de facto reprovável) abençoa outra do mesmo género, mesmo que simbolicamente, de exclusão, tipo "vamos lá pôr isto debaixo do tapete ou longe de da vista"... o sarkoky e o berlusconi têm os seus seguidores...
Desculpe, mas importa-se de repetir?!
"Acho até que alguns animais merecem bem mais respeito do que certas pessoas. E nunca vi os homens do lixo enfiarem um sem abrigo no contentor. "
Sim, é verdade... existem pessoas q de facto merecem pouco respeito, e outras q são verdadeiros animais... mas... agora essas pessoas têm de ser sem abrigo? Ou por ser sem abrigo são pessoas q não devem merecer o nosso respeito? alias... para este "senhor" jornalista até deve ser ofensivo chamar um sem abrigo de pessoa...
Estamos muito longe da ironia quando se passa a rotular alguem assim, mesmo q seja para defender os pobres animais (alguns deles não tão fofinhos assim).
Pergunta aos defensores dos animais
Aos acérrimos defensores dos animais, não posso deixar de rogar que me esclareçam na seguinte questão:

Porque razão há tanto alarde por causa das touradas quando milhões de frangos nascem, vivem e morrem sem terem podido abrir as asas não havendo qualquer referência a tal realidade?

Porque motivo se gera um escândalo global por causa da partida (de mau gosto) que esta senhora pregou ao gato, quando milhões de porcos são criados diariamente sem sequer poderem andar dado o espaço confinado onde estão?

Em suma, porque razão há animais que merecem mais respeito que outros?
Re: Pergunta aos defensores dos animais
Re: Pergunta aos defensores dos animais
Comentários 15 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub