Anterior
Ataque mata 8 polícias russos
Seguinte
Jeremy Irons e Patrick Vieira em campanha contra fome
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Diretor do DN do Funchal demite-se e acusa Jardim de bullying

Diretor do DN do Funchal demite-se e acusa Jardim de bullying

O diretor do Diário de Notícias do Funchal, Luís Calisto, anunciou hoje em editorial a demissão do cargo que exercia desde outubro de 2005, acusando o Alberto João Jardim de estar a "fazer bullying à imprensa regional".  
Lusa |

O diretor do Diário de Notícias do Funchal, Luís Calisto, anunciou hoje em editorial a demissão do cargo que exercia desde outubro de 2005, acusando o presidente do Governo Regional de estar a "fazer bullying à imprensa regional".   
 
Luís Calisto, que iniciou a carreira de jornalista há 35 anos no DN insular e foi diretor da RTP-Madeira, critica Alberto Jardim por estar a aproveitar a atual conjuntura difícil, sobretudo para a imprensa, para "concretizar o seu antigo projeto de fechar o diário".  
 
"Depois de muitos anos a atribuir ao DN ofensas e ataques pretensamente gerados contra si, o dr. Jardim passou à estratégia de desvirtuar o mercado regional dos media, passando expressamente a beneficiar em 1992 um jornal concorrente - o Jornal da Madeira (JM) - com uma verba anual astronómica", escreve.  
 
Adianta que "em 2009, o total dos apoios recebidos por aquele órgão ascendia aos 42 milhões de euros", o que representa "uma injeção de 11 mil euros diários no JM, com discriminação do resto da imprensa".  

"Atropelos à lei" por Jardim 


O jornalista critica Jardim por "intimidar os empresários que anunciavam no DN",  por ter reduzido "praticamente a zeros a publicidade oficial" e de ter dado "ordens às instituições públicas dependentes do Governo Regional para cortar centenas de assinaturas".  
 
"Não satisfeito com os atropelos à lei para levar este diário à falência, o dr. Jardim, em janeiro de 2008, passou o JM a gratuito, aumentando a sua tiragem de 5 mil para 15 mil exemplares", aponta.  
 
O diretor do Diário de Notícias do Funchal refere que o DN viveu em 2009 o "drama do despedimento coletivo" e que "está à vista" uma nova vaga de dispensa de funcionários.  

"Criminosos atentados contra a liberdade de imprensa na região" 


Recorda que, apesar do Presidente da República, a Assembleia da República, a ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social), os tribunais, os partidos políticos, o Governo de Lisboa "terem conhecimento dos criminosos atentados contra a liberdade de imprensa na região", acabam por chegar à Madeira e "elogiar a superior qualidade da democracia na Madeira" e a "obra" realizada pelo "democrata" Alberto João Jardim.  
 
Luís Calisto conclui que se demite do cargo de diretor "mas não da carreira de jornalista" porque "a vida continua hoje".  
 
A agência Lusa está a tentar obter uma reação do presidente do Governo Regional da Madeira às criticas do director demissionário. 
 
*** Este texto foi escrito ao abrigo do Acordo Ortográfico*** 



Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 10 Comentar
ordenar por:
mais votados
As palavras de um homem honrado
Luís Calisto, a quem tenho o grato prazer de conhecer pessoalmente é o melhor jornalista madeirense e um dos melhores jornalistas portugueses. Já escreveu vários livros e é conhecido pelo rigor, elegância e fino humor dos seus textos. É, além do mais, um Homem digno, corajoso e vertical.
Este acto de demissão é sintomático e simbólico. Tanto quanto sei, Calisto auferia um salário bastante bom no DN do Funchal e tinha um contrato blindado. Se bateu com a porta, em nítido prejuízo pessoal, é porque a sua paciência chegou ao limite e quis dizer alguma coisa: provavelmente o conteúdo do editorial.
Tudo o que ele escreveu é verdadeiro. Toda a gente sabe disso. Ninguém (sobretudo quem deveria velar pela repressão da concorrência desleal, por um lado, e quem deveria fiscalizar os gastos de dinheiros públicos, por outro lado) faz nada. Luís Calisto enfrenta a vida como, quando era extremo direito do Marítimo dos anos 60,70, enfrentava os adversários: olhos nos olhos e em velocidade.
Hoje um homem honrado falou. O resto dos homens honrados deste país deveriam olhar para a Madeira e ouvi-lo com atenção. Somos cada vez menos e num país em que a palavra de dois bandidos vale mais do que a nossa.

Cumprimentos
Re: As palavras de um homem honrado
Por onde anda o dinheiro na Madeira
O Director do DN -Madeira-foi abandonado por Sócrates.
Oxalá que a perseguição de que tem sido alvo não passe para o atropelamento na via pública.
E a tal comissão de ética?
... não interpelou Jardim nem o Calisto?
Pois... compreendo... o objectivo era outro...
Terá ele uma costela do lombo do Bokassa?
Afinal o Dr. Alberto João Jardim sempre é um parente afastado, não na cor, mas porventura nalguma costela do lombo, do nosso mui querido e amado Bokassa!
Soubesse eu há um mês, que estas cenas ainda persistiam na região autónoma da Madeira, e em vez de ir gastar uns cobres no Verão, à Pérola do Atlântico, ia mas é para Maiorca, cujas águas límpidas e quentes me satisfaziam com certeza o ego e os couratos.
Esta coisa de sermos piegas, sempre solidários com a desgraça alheia ás vezes torna-se contra producente!
Se isto for verdade
Estamos perante uma democracia muito musculada.
Se isto for verdade a comissão da PT/TVI deixa de ter sentido.
Se isto e a história da PT/TVI forem verdade é um sinal de que a democracia está a ficar moribunda.
Se isto for verdade a classe dos jornalistas está a pactuar com a censura mais uma vez em silêncio.
Se isto for verdade podemos considerar que o jornalismo deixou de cumprir a sua função.
Jornalistas comentem, expressem a vossa opinião ,vão em busca da verdade dos factos, investiguem.
É a verdade
Isto é a verdade nua e crua. O Jornal da Madeira, integralmente subsidiado, passou a ser distribuído gratuitamente nas ruas. Dado o aumento de tiragem passou a vender a publicidade a cerca de 1/4 do preço do "concorrente" Diário de Noticias. O resultado está à vista com o despedimento de dezenas de jornalistas do DN e a sua falência anunciada. Jardim conseguirá assim ter no Funchal dois jornais gratuitos distribuídos porta a porta: O Povo Livre que é mensal e o Jornal da Madeira, eliminando assim a imprensa independente da região, tudo isto com o assobiar para o lado do PSD nacional e do paladinos da liberdade de imprensa....Pacheco Pereira, ....Mario Crespo.....etc etc etc
pura verdade
É uma vergonha o que se passa na Ma(ma)deira laranja.
Sabe Deus se dos dinheiros recolhidos, fruto da generosidade de muitos milhões de portugueses,não serão para manter na rua esse pasquim Jornal da Madeira que não é mais do que um menu do dr. Alberto João. O Diário Notícias da Madeira atravessa um período difícil, mas áureo na sua qualidade jornalística sendo para nós o único veículo credível de informação na Madeira.
na madeira;é igual como era nos regimes comunistas
lá na madeira;é igual;como era nos regimes comunistas;lá nas antigas rússias;em que os bolchevikes;ditavam as ordens..sempre foi lá assim na madeira..eu por lá vivi;e sei muito bem do que falo.Mas não é preciso;nem lá viver..a madeira;é uma prisão a céu abeerto;para os que não sejam do lado dos jardins.é uma vegonha..mas quem afinal apoia este ditador bokassa..???lá ilha dos jardins..??até quando..??cpts..kantiflas.
DELENDA MADEIRA EST
Pois eu perdi a paciência com a Madeira que ama ( é verdade !) o seu presidente, há um par de meses.
Tenho no meu blog CICLOSTOMO uma explicação sobre o prejuízo que os Portugueses sofrem com o Bokassa da Madeira o que me levou a terminar todos os "posts", sejam sobre o que fôr, com a frase que Catão usava no Senado de Roma:" Delenda Madeira est ". Catão dizia Delenda Cartago est! ( É preciso destruir Cartago ). Pois a minha frase, adaptada, é melhor que a de Catão. Ah! Catão levou a dele avante....
Comentários 10 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub