89
Anterior
Rendas: liberalização relutante
Seguinte
A defesa do Norte
Página Inicial   >  Blogues  >  A Tempo e a Desmodo  >   Deus não é para o bico da ciência

Deus não é para o bico da ciência

|
A Tempo e a Desmodo - Deus não é para o bico da ciência

Antony Flew (1923-2010) não foi um ateu de garagem. Flew foi o Dawkins do século XX, o líder do ateísmo que se julgava legitimado pela ciência. É por isso que a sua conversão foi um acontecimento tão polémico. Deus existe é a explicação dessa polémica descoberta. O grande motor da mudança? A teoria do Big Bang. Steiner diz, algures em Gramáticas da Criação, que a teoria do Big Bang é a tradução científica do livro do Génesis. Flew navegou por águas similares. Para este filósofo britânico, a teoria do Big Bang fornece a prova científica para aquilo que São Tomás de Aquino considerava inacessível ao conceito de prova: o começo do universo. Enquanto pensou que o universo era apenas um espaço ilimitado mas atemporal (sem um começo), Flew encarou o dito universo como um conjunto de factos fechado e à mercê de uma ciência toda-poderosa. Mas tudo mudou com o Big Bang. Se o universo teve um começo, então, a pergunta é inevitável: o que produziu esse começo? Quem deu o primeiro pontapé na bola cósmica? 

O que torna Flew num caso subversivo para o ateísmo hegemónico não é a mera conversão à ideia de Deus. A subversão está na forma, porque Flew chegou a Deus através da ciência, e não através da fé. Flew atingiu Deus através da física e da cosmologia. O ex-papa dos ateus pegou nos dados científicos, e Eureka: há um Deus subjacente à racionalidade da natureza e do universo. Tudo bem? Tudo mal. Deus não é um assunto científico. Deus não se prova ou desprova cientificamente. Deus é um salto de fé abraâmico, kierkegaardiano. Se Dawkins está errado, Flew também não está certo.

Sim, Dawkins tem direito ao seu ateísmo, mas já não tem direito a pensar que esse ateísmo tem certificado científico. A ciência não prova a não-existência de Deus. Deus é um assunto não-científico por excelência, porque Deus não está ao alcance do método científico. Mais: quando afirma que o seu ateísmo darwinista é a única resposta aceitável, Dawkins deixa de lado qualquer ceticismo em relação à sua própria teoria, acabando por esquecer que a ciência não anda à procura da verdade redentora. Todo o conhecimento científico assenta nesta arquitectura céptica: só podemos ter estabilidades teóricas, e nunca certezas teóricas; todas as teorias têm de ser falsificáveis, logo, todas as teorias são apenas possivelmente verdadeiras. Sem este mar de dúvidas, o espírito científico não sobrevive. Preso na fúria de negar Deus em nome da ciência, Dawkins acaba por desrespeitar a própria ciência.

Ora, se não prova a não-existência de Deus desejada por Dawkins, a ciência também não prova a existência de Deus. Flew diz que esta foi uma peregrinação da razão: "segui a razão até onde ela me levou. E ela levou-me a aceitar a existência de um Ser auto-existente, imutável, imaterial, omnipotente e omnisciente". Problema? Apesar das diferenças a jusante, Flew partilha com Dawkins um erro a montante: encara Deus como um desafio científico. Sucede que Deus e a fé não são assuntos empíricos, não são temas para o bico da ciência. Deus não se esconde na relação gravitacional entre planetas, mas na relação moral entre homens. Deus é um salto de fé ético, e não uma descoberta com tubos de ensaio. Flew percebeu que o ateísmo não era a resposta, mas teve medo de atravessar o deserto.


Opinião


Multimédia

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.


Comentários 89 Comentar
ordenar por:
mais votados
Inacessibilidades
O bicho homem é curioso e é relutante à ideia do inexplicável.Quanto mais se sabe sobre o Universo, dimensão e funcionamento, o espantoso jogo de equilíbrios da natureza, mais difícil se torna enquadrar em explicações científicas.

As noções do tempo e do espaço, quando medidos em anos-luz, são difíceis de digerir,
  Os milhões de quilómetros cúbicos ocupados pelo Universo que continham ,antes do Big Bang?

A invenção de Deuses, pretende dar um autor ao incompreensível, tornando simples algo que nos escapa. Mas é uma invenção humana, a que se juntou a ameaça de torturas eternas, para malfeitorias terrenas e , com o decorrer dos séculos, o poder do clero.

Por mim , perfilho a posição de J.L.Borges "Sobre a verdade nada sabemos". É a mais cómoda e a que produz menos problemas existenciais!!!!!
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Re: Inacessibilidades
Quem tem mêdo da morte?
Só tem mêdo da morte quem não tem, em vida a consciência tranquila: na sua relação com os outros, na solidariedade com o próximo e na prática da justça quotidiana.Porque Deus não é o problema. não dificulta o caminho, não cria limites.
Re: Quem tem mêdo da morte?
Re: Quem tem mêdo da morte?
Deus não é para o bico da ciência
Dizem os crentes que a fé é que nos salva, mas se a Deus nada é impossível e fez o Mundo, porque não fazer pequenos milagres, tão simples como dar uma pena de carne e osso, a quem vai a pé a Fátima com uma de pau. Já sei que há explicação para tudo, mas como a Deus nada é impossível, porque deu às plantas a possibilidade de se renovarem, cada vez que lhe cortamos um ramo e não acontece o mesmo com o seu semelhante. Milagres contam muitos, mas uma prova assim era sem duvida mais credível, ou talvez não. Aliás contam que na antiga Grécia não sabiam a razão porque as mulheres tinham filhos e pensavam que era o mesmo fenómeno que acontecia com a fruta nas árvores. Tenho um amigo que opina que as religiões são todas más e não há nenhuma boa. Invoca o sofrimento que têm causado à Humanidade, em guerras eternas entre Árabes e Cristãos desde o tempo das Cruzadas e Inquisição.
ENALTEÇO A SUA INTENÇÃO DE HOJE, HENRIQUE
Poucos entenderão o alcance do seu artigo de hoje. Enalteço a coragem de hoje em trazer e invocar alguém que a ditadura do politicamente correcto transformou em besta depois de ter andado décadas a considera-lo bestial. Infelizmente, tal como noutros registos, no fórum do Expresso também abunda a opinião fácil de gente desinteressante e desinteressada. É um preocupante sinal dos tempos. Não sei se sabe mas ontem teve lugar na universidade de Oxford, na aula magna da faculdade de Teologia, um debate sobre a questão por si hoje aflorada e sob um título idiota cuja tradução poderá talvez ser “A natureza do ser humano e a questão da sua origem”. Os convidados foram o sempre inconsequente Rowan Williams, bispo de Cantuária e, o ateu militante Richard Dawkins. Eu pessoalmente acho o representante anglicano muito fraco e sempre preocupado em ser politicamente correcto o que no debate em questão foi penalizador acima de tudo para ele mesmo. A discussão não foi esclarecedora pois se Dawkins está hoje muito mais polido já Rowan Williams não tem bagagem para quem se digladie com ele com argumentos racionalmente bem encadeados e estruturados. Para mim em qualquer contenda tem que haver sempre um vencedor e a haver um foi, infelizmente, este ateu militante. Qualquer Príncipe da Igreja Católica teria arrumado com a argumentação fácil e por vezes insultuosa usada por Dawkins mas enfim como se depreende do seu artigo de hoje Deus não está ao alcance do entendimento de todos. Se poder ...
Re: ENALTEÇO A SUA INTENÇÃO DE HOJE, HENRIQUE
'Deus não é para o bico da ciência
Bom post, Henrique. Não sei se se trata da apresentação de um livro (a aparecer no Expresso ou noutro lado) ou da crítica a um, mas não penso que haja nada a apontar a ele. Concordo com tudo o que disse, em primeira abordagem.

Em segunda abordagem, haveria que considerar o que diz no fim, que Deus estaria escondido na "relação moral entre homens". Parece-me pelos vistos que "alguém" não desistiu de encontrar a prova de Deus na normalidade da realidade... não se contentando com a história, que pode sempre nos chegar falsificada.

A este assunto só posso acrescentar que a ciência é essencial para provar a existência de Deus. Porque ao esforçar-se para estudar o natural, ela tenta definir o que não é natural, e logo, é a melhor ferramenta para reconhecer Deus se este se manifestar. E no entanto, também é verdade que a sua constante procura em explicar tudo, introduz uma dúvida sistémica em toda a prova que fizer: o que não consegue explicar hoje talvez possa explicar amanhã. Paradoxalmente, acho que é isto que evita que se possa considerar o ateísmo uma teoria científica... é que negar a existência de alguma coisa é falsificável, desde que essa coisa apareça... mas como se pode fazer a prova se o objectivo da ciência é precisamente recusar essa prova?

(um segundo problema é que o argumento da falsificação resulta para negar afirmações universais, leis!... como é que o ateísmo poderia ser reformulado para exprimir as mesmas?)
O homem
desde sempre que gosta de histórias, mas quando ficam obcecados com um conto desta forma, já é um exagero. Deus e suas historietas deviam estar na secção de livros infantis e não darem azo a milhões e milhões de debates e histerias.

http://barbarraridades.bl...
Re: O homem
Re: O homem
Re: O homem
Re: O homem
Tome juizo, Henrique Raposo
Deus vs ciencia tem a ver com a cultura e retorica dos Republicanos nos Estados Unidos (neocons). O que tem a Europa a ver com isto?

Encher chouriço?
Um fundamentalista Hindu, acusa Krishnamurti: - Quanto mais o ouço mais convicto fico que és ateu!
Krishnamurti responde: - Eu costumava ser ateu até ter percebido que era Deus.
...irritado o fundamentalista acusa: - ...negas a divindade de Krishna!!? (cá diriamos negas a divindade de Jesus).
JK remata: - ...ceus, nunca neguei a divindade de ninguem, porque o faria a Krishna?

Raio de tema meu caro, armazéns cheios de prateleiras com caixotes imensos cheios de livros foram escritos sobre estas matéria, só faltava mesmo o seu contributo de 4 parágrafos... Fico abismado com a forma como preenche este seu espaço de opinião...
O humanamente incompreensível...
A este respeito, recordo Fernando Pessoa:

“É como se houvesse uma joia ou uma flor, cuja cor maravilhosa só pudesse existir na noite, desaparecendo logo que se estabelecesse a luz, com a qual se veria”

Realmente, um segredo revelado perde a virtude mística do segredo. E citando Tertuliano: revelá-los é destrui-los
Re: O humanamente incompreensível...
Re: O humanamente incompreensível...
Re: O humanamente incompreensível...
Re: O humanamente incompreensível...
Re: O humanamente incompreensível...
Re: O humanamente incompreensível...
A ciência não prova a existência de Deus.
A ciência não prova a existência de Deus porque não se chega a Ele através das certezas matemáticas mas sim mediante a certeza da fé. Neste sentido a resposta à questão quem produziu o começo do universo é apenas um pequeno elemento na construção da certeza que conduz à prova da existência Divina.
Parabéns a H. Raposo pela qualidade do seu texto.
Não é pelo fato de ele ter mudado de ideia,
que a ideia de um deus está provada. Rio Grande
Equilíbrio instável
Parece-me interessante esta conclusão do HR.

Se Deus estivesse ao alcance do nosso raciocínio, seria apreensível, explicável, compreensível por nós. Nós poderíamos explicá-lo. Era como se a peça de barro pudesse algum dia compreender, explicar o oleiro. Claro que as comparações falham mas dá para tentarmos compreender.

Nisto da fé num Princípio para o TODO, cada qual deverá encontrar o seu ponto de equilíbrio entre a certeza e a dúvida.
Quem acredita não deverá esquecer o uso e o fundamento na razão; a crença não pode ser irracional, deve fazer sentido!
Quem não acredita não se poderá radicar unicamente na razão; pela razão, ou pela ciência não chegamos a grandes verdades absolutas.

A FÉ penso que estará sempre presente numa e noutra das nossas posições de equilíbrio “instável” perante o mistério do SER.
Re: Equilíbrio instável
Re: Equilíbrio instável
Pedro, Apóstolo de Jesus Cristo...
Todo o mortal é como a erva
E toda a sua glória como a flor da erva.
Seca-se a erva e cai a flor,
Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.
Deus/ciência
Alguém disse: "O muito conhecimento conduz a Deus, o pouco afasta Dele"

Aplica-se a este caso que nem uma luva.
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Re: Deus/ciência
Argumentos sem originalidade.
Em relação a este debate, existe uma verdadeira falta de originalidade no lado dos crentes.

Tradução científica do Génésis? O Génésis não tem absolutamente nada a ver com a teoria do Big-bang,
  é um conto de fadas reminiscênte de religiões neolíticas de deusas matriarcais, onde o universo não é criado, mas parido.
O que produziu esse começo? Quem deu o primeiro pontapé na bola cósmica? Reposta dos crentes, Deus.
Isso simplesmente deixa ainda MAIS perguntas em cima da mesa, não responde ou explica absolutamente nada. De onde é que veio esse Deus, quem o criou a ele, e como é que ele criou o Big-Bang?
A ciência não prova a não-existência de Deus. Quantas vezes tem de se repetir a mesma coisa, não é assim que a ciência funciona! O Charles Darwin passou anos a pesquisar antes de publicar 'The origin of species' para provar a sua teoria. Os crentes é que tem de provar a existência de Deus, e essas provas é que são depois analisadas.
Deus é um assunto não-ciêntifico, essa é boa. E se eu lhe digo que acredito firmamente que existe um Panda cor de laranja que vive no centro da terra que controla isto tudo, e para validar a minha teoria ponho em cima da mesa os mesmo argumentos, é um assunto não ciêntífico e é um salto de fé ético?
É obvio que a ciência não responde a toda as perguntas, e é provável que nunca o faça. Mas como é que isso pode validar uma das centenas de crenças medievais ou pré-históricas? Qualquer conto de fadas serve, desde que EU esteja no centro!!
Re: Argumentos sem originalidade.
Re: Argumentos sem originalidade.
Re: Argumentos sem originalidade.
Re: Argumentos sem originalidade.
Re: Argumentos sem originalidade.
Re: Argumentos sem originalidade.
Re: Argumentos sem originalidade.
Re: Argumentos sem originalidade.
Re: Argumentos sem originalidade.
Comentários 89 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub