24 de abril de 2014 às 4:13
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Detentores de cds gregos vão receber 1,9 mil milhões de euros

Detentores de cds gregos vão receber 1,9 mil milhões de euros

O leilão fixou em 21,50 cêntimos por cada euro a taxa de recuperação do valor dos títulos gregos. Cada detentor de cds receberá 78,50 cêntimos por cada euro. O total a receber deverá atingir os 1,9 mil milhões de euros.

Jorge Nascimento Rodrigues (www.expresso.pt)

A última sessão do leilão relativo aos contratos de credit default swaps (seguros financeiros contra o risco de incumprimento) ligados à dívida grega fixou uma taxa de recuperação dos títulos gregos de 21,50 cêntimos por cada euro, o que significa que cada detentor de cds receberá 78,50 cêntimos por cada euro. Na sessão da manhã a taxa preliminar havia sido de 21,75. O valor líquido a receber pelos detentores de cds ligados à dívida grega deverá atingir 1,9 mil milhões de euros.

Quanto menor a taxa de recuperação (significando um perdão ainda maior de dívida em relação ao valor facial dos títulos), maior o valor a receber por quem contratou cds contra o risco de um incumprimento, de um evento de crédito como veio a acontecer.

O mercado dos credit default swaps (seguros financeiro contra o risco de incumprimento, acrónimo cds) procedeu esta segunda-feira a um leilão em que estão envolvidos 4369 contratos com um valor líquido de 3,18 mil milhões de dólares (os cds estão denominados em dólares), o que equivalerá a 2,4 mil milhões de euros, relacionados com a dívida grega, segundo os dados de 9 de março - os últimos disponíveis - da Depository Trust & Clearing Corporation, a entidade norte-americana de compensação que regista o valor nocional bruto e líquido destes derivados financeiros.

O leilão fixou uma taxa de recuperação dos títulos gregos que determinará o valor a pagar aos detentores dos cds. Com a taxa de recuperação final fixada em 21,50 cêntimos por cada euro de valor dos novos títulos gregos a 30 anos (que foram dados em troca pelos velhos títulos reestruturados), os detentores de contratos de cds receberão 78,50 cêntimos por cada euro segurado.

Taxa de recuperação inferior à da troca de títulos


A decisão de leilão foi tomada pela International Swaps and Derivatives Association (que agrupa os intervenientes neste mercado). Esta organização considerou ter ocorrido um default parcial na Grécia, em virtude da reestruturação forçada de 25 mil milhões de euros, 16,5% da dívida na mão de credores privados sujeitos à lei grega que não aceitaram a proposta de reestruturação de Atenas. O governo grego procedeu ao acionamento das cláusulas de acção colectiva (CAC) para estender a reestruturação a este grupo resistente (que incluiu, paradoxalmente, fundos de funcionários do próprio ministério das Finanças grego).

Os resultados do leilão foram anunciados no site Creditfixings.com, que é gerido pela Creditex e pela Markit.

Recorde-se que na reestruturação de dívida grega nas mãos de privados que ocorreu este mês, os detentores dos títulos receberam 23 cêntimos por cada euro, desdobrados em 15 cêntimos em títulos do Fundo Europeu de Estabilização Financeira e 8 cêntimos em novos títulos a 30 anos (que foram trocados valendo 31,5% do valor facial dos velhos títulos), segundo cálculos do The Wall Street Journal. Neste caso, a taxa de recuperação foi de 23%. A perda global foi de 77%. Na última sessão do leilão de cds referido, a taxa de recuperação foi inferior, significando uma perda global ainda maior.

 

Comentários 8 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Assunto importante, mas muito técnico.
Ao contrário do que os políticos quiseram, os CDS (seguros de crédito) foram accionados, e ao contrário do que se dizia, o mundo não acabou (ainda).

Antes pelo contrário, os juros portugueses estão em queda (ver outra notícia do Expresso de hoje).

Constato que o lóbi financeiro (Goldman Sachs, AIG, Allianz, etc) mentiu ao pressionar a Europa para evitar o accionamento destes seguros, ameaçando com um novo momento 'Lehman' (um efeito dominó de bancarrotas). Apenas quiseram safar o seu.

Vão mesmo ter de pagar, o que é uma boa notícia para Portugal pois quem detém Obrigações Portuguesas (p.ex. Seguranças Sociais de países Europeus e bancos) pode manter os títulos e comprar seguro de protecção, evitando assim uma venda forçada, geradora de subidas constantes das taxas de juros exigidas pelos 'mercados'.

Pena que estas coisas sejam difíceis de explicar...
Re: Assunto importante, mas muito técnico. Ver comentário
Porreiro Pá..
tenho dois do Demis Roussos...
Ilhas Caimão
Também tenho uma quantidade de cds, não sabia que valiam tanto, estou então quase rica, sabem onde vou por o meu dinheirinho? nas ilhas Caimão.
Re: Ilhas Caimão Ver comentário
Notícia pouco clara
Não sou expert em matéria destes seguros CDS, e pelo comentário do Jorge N. Rodrigues, jornalista que costuma normalmente claro e lúcido nas suas análises, desta vez não fiquei a perceber muito bem. Os detentores vão recuperar agora, ou no futuro? Como é que 23,5 cêntimos por cada euro dos títulos antigos viram 78,5 por cada euro nos CDS? E isso é bom porquê?
Re: Notícia pouco clara Ver comentário
Re: Notícia pouco clara Ver comentário
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub