Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Desporto

Sporting vence Taça de Portugal

  • 333

Avançado brasileiro saltou do banco para fazer dois golos e dar a 15ª Taça de Portugal ao Sporting. Festa verde-e-branca no Jamor.

Ricardo Capela

O Sporting conquistou a Taça de Portugal, temporada 2007/2008. Numa final em que foi preciso jogar-se um prolongamento, os leões bateram o FC Porto por 2-0, com dois golos do brasileiro Rodrigo Tiuí, que foi o herói inesperado, saltando do banco para dar a 15ª Taça de Portugal ao Sporting, que assim repete a vitória do ano passado.

Para Paulo Bento é também o segundo troféu consecutivo, juntando-se assim a uma lista muito restrita de treinadores que conquistaram o troféu em duas temporadas consecutivas. Uma lista que, até hoje, tinha apenas cinco nomes. Está, desta forma, encerrada mais uma temporada do futebol português. Uma época dominada pelo azul-e-branco mas que termina com uma imensa festa verde-e-branca.

Durante 120 minutos, o Jamor assistiu a uma festa de cor, emoção e desportivismo. Os adeptos foram incansáveis no apoio às equipas e, no relvado, os intervenientes lutaram por cada lance como se fosse o último. Venceu o Sporting que, durante o jogo, acabou por ser a equipa com maior domínio e com as maiores oportunidades. Nos primeiros 45 minutos, especialmente, os 'leões' dispuseram de um punhado de ocasiões, que o guarda-redes Nuno conseguiu sempre deter.

A segunda parte foi mais equilibrada, sem tantas ocasiões, mas sempre com muito equilíbrio. A expulsão de João Paulo obrigou o FC Porto a recuar, deixando apenas Quaresma e Lisandro na frente, à procura do contra-ataque.

O Sporting arriscou e passou apenas a jogar com três defesas, expondo-se ao contra-ataque portista mas assegurando forte presença na área adversária. A estratégia de Paulo Bento acabou por resultar, com Rodrigo Tiuí a virar herói de forma inesperada. Saltou do banco e marcou, por duas vezes (110' e 117'). O primeiro golo surgiu de forma algo atabalhoada mas, no segundo tento, apesar do ressalto, Tiuí concluiu de forma brilhante, com um pontapé de bicicleta que não deu hipóteses a Nuno.

O brasileiro, tantas vezes criticado pelos adeptos leoninos, termina a época como herói, marcando os golos da vitória na final da Taça, depois de também ter apontado o golo da vitória frente ao Boavista, que confirmou o segundo lugar e a entrada directa na Liga dos Campeões.