Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Sporting: As aventuras de uma lista que não chegou a ser

João Pedro Paiva dos Santos abdicou da candidatura à presidência do Sporting para José Couceiro, fez uma lista para o Conselho Leonino mas quando tentou formalizar a sua entrega... os serviços já estavam fechados

Bruno Roseiro

João Pedro Paiva dos Santos apresentou exatamente há uma semana a candidatura à presidência do Sporting. Agora, nem ao Conselho Leonino vai concorrer. E tudo porque os elementos que deveriam entregar a lista e as assinaturas equivalentes a mil votos chegaram... depois da hora.

Atentando nos acontecimentos da última semana e meia, pode mesmo dizer-se que não foi apenas na entrega das listas que tudo correu ao contrário. Literalmente. Na recepção ao Marítimo, o staff do empresário fez-se representar em força em Alvalade, com vários adereços à candidatura "O Novo Sporting" - lema de Paiva dos Santos -, inclusivé tarjas dentro do estádio que foram depois retiradas pelos seguranças.

Estava tudo pronto - a recolha de assinaturas tinha corrido bem, a sede (no Alvaláxia) encontrava-se engalanada pelo movimento da candidatura e a cereja no topo do bolo chegou com a apresentação oficial numa unidade hoteleira de Lisboa, através da leitura de um comunicado sem direito a perguntas. O problema, ou os problemas, viriam depois.

Uma lista, outra lista, nenhuma lista

Os responsáveis pela campanha de Paiva dos Santos já tinham explicado que, por exemplo, o empresário não se tinha deslocado a Alvalade para assistir ao encontro com o Marítimo porque se encontrava no estrangeiro à procura de parceiros e investidores para o Sporting. Faltava conhecerem-se outros 'pormenores' como os elementos que iriam acompanha-lo nas eleições, algo que nunca foi desvendado - com o avanço de José Couceiro, e por haver "muitas ideias em comum", decidiu desistir.

A partir daí, nasceu a ideia de formar só uma lista para o Conselho Leonino e, de acordo com a imprensa desportiva de hoje, nomes como Vasco Lourenço ou Rui Oliveira e Costa estavam confirmados no elenco. Na teoria, estava fechado; na prática, foi uma ideia que ficou no papel.

A entrega, que deveria ter ocorrido por volta das 16h, foi sucessivamente adiada. Às 18h17, Luís Natário, secretário da mesa da Assemblei Geral, e Pedro Solano, do departamento jurídico do Sporting, abandonaram a sala no hall VIP que recebeu todas as candidaturas. Quatro minutos depois, chegaram quatro elementos com listas e votos, alguns molhados pela forte chuvada que se abateu em Lisboa nessa altura. Já era tarde...

O que dizem os estatutos

A chuva, o trânsito e um acidente terão provocado o atraso mas, segundo o que estava previsto e regulamentado em termos estatutários, a entrega das listas terminava mesmo às 18h. Por isso, quando os elementos de Paiva dos Santos pediram mais informações sobre o local onde se teriam de deslocar (18h02)... a hora limite já tinha passado.

Apesar de ainda terem chegado à fala com responsáveis da mesa da Assembleia Geral, nada mudou e as listas não foram aceites, tendo os elementos saído de Alvalade por volta das 19h30 com todos os papéis, agora protegidos por um saco de plástico do Sporting.

Desta forma, e depois das nove listas que foram a votos em 2011, apenas Bruno Carvalho e Carlos Severino (José Couceiro não se apresentou ao órgão) terão representantes no próximo Conselho Leonino...