Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Desporto

PSV impõe primeira derrota da pré-época ao Benfica

  • 333

Benfica até começou a ganhar, mas os holandeses do PSV deram a volta e venceram por 3-1.

O Benfica foi hoje derrotado na final do Torneio Masters de Wroclaw, por 3-1, com o PSV Eindhoven a impor à equipa de futebol "encarnada" a primeira derrota da pré-época.

O Benfica tinha nesta pré-temporada ganho ao Marselha (2-0), ao RH Hamm (3-0) e empatado com o Lille (0-0). E no sábado, já no torneio polaco, tinha ganho aos anfitriões do Slask Wroclaw, por 4-2.

Hoje, Jorge Jesus começou por mudar a estratégia, avançando com a titularidade de Saviola, ao lado de Cardozo, e um meio-campo sem Witsel. O médio Carlos Martins teve o papel de "maestro", e Ola John e Gaitán ocupavam as faixas.

Melgarejo é lateral... mas pouco

Nas experiências no lado esquerdo da defesa, e ao contrário da opção no jogo de sábado, Jesus apostou em Luisinho, nos primeiros 45 minutos, e Melgarejo, que viria a estar muito abaixo e mal em alguns lances, na segunda parte. 

 

Frente ao PSV Eindhoven, o Benfica teve um teste a sério e apesar de algum domínio na primeira metade, acabou por perder a concentração em momentos capitais e pagar a fatura disso mesmo, num jogo em que as substituições pioraram a equipa. 

 

Carlos Martins, que marcou um golo e assistiu dois no encontro com o Slask, voltou a ser dos melhores e com novo tento, aos 34 minutos. Ola John assistiu desde o lado esquerdo para a entrada da área, e o médio português aplicou o seu remate. 

 

Na segunda metade, o técnico do Benfica voltou a ter apenas Cardozo na frente (jogou até aos 62 minutos), com o belga Witsel a reforçar o "meio" junto a Javi Garcia. Nolito entrou para o lugar de Ola John, Bruno César substituiu Martins, e Melgarejo entrou para a posição de Luisinho. 

 

Aos 52 minutos, Benfica ainda tinha o jogo "na mão" e podia ter chegado ao 2-0, com Witsel, isolado, a disparar desenquadrado e por cima. 

PSV virou o jogo 

Seria este o momento da viragem. Praticamente no seguinte lance de perigo (54), o central Jorgensen apareceu livre de marcação ao segundo poste (no lado esquerdo da defesa benfiquista) e igualou a partida. 

 

Depois de alguma confusão no relvado, aos 57 minutos, num lance em que Willems envolveu-se em contato físico com Gaitán, e provocou muitos empurrões entre os jogadores e a entrada dos suplentes em campo, o Benfica mostrou-se descaracterizado.  

 

As entradas de Yannick Djaló, Nelson Oliveira e Rodrigo Mora não trouxeram melhorias para os encarnados, que nos últimos 15 minutos viram o PSV tomar conta do jogo, sobretudo depois da expulsão de Maxi Pereira, aos 78, por acumulação de amarelos. 

 

Pouco antes, os holandeses colocaram-se na frente, por Lens, que recebeu um passe da direita, no lado de Melgarejo, e ficou livre para o 2-1 (74).

 

Com mais um jogador, o PSV teve uma série de lances perigosos e aos

83, mais uma vez no lado direito do seu ataque, Wijnaldum fez o 3-1, numa jogada em que Artur ainda defendeu um primeiro remate. 

 

No torneio o Benfica terminou em segundo, com o Athletic Bilbau a ser

terceiro, depois de também hoje derrotar o Slask por 1-0, com um golo de

Susaeta, no jogo de atribuição do terceiro lugar.