Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Penálti à Panenka faz 35 anos (vídeos)

Cumprem-se 35 anos desde que o checo Antonin Panenka criou, na final do Europeu de 1976, o mais insolente de todos os penáltis. Recorde várias reedições do penálti "à Panenka", utilizado por Hélder Postiga no Euro 2004.

Mariana Cabral (www.expresso.pt)

Depois do tempo regulamentar e do prolongamento, a final do Europeu de 1976, entre Checoslováquia e Alemanha (RFA), teimava em permanecer empatada (2-2). Alemães e checoslovacos concretizaram os primeiros quatro penáltis, mas, na quinta tentativa, o alemão Honess chutou por cima da trave. 

Cabia assim ao médio checoslovaco Antonin Panenka a responsabilidade de marcar o último penálti, que poderia entregar o título ao seu país. Com toda a Europa de olhos postos nele, Panenka não tremeu... e marcou aquele que é provalmente o penálti mais bonito da história do futebol.

"Estava 1000% certo que bateria o penálti daquela forma e que marcaria"

Panenka não enviou a bola nem para a direita, nem para a esquerda, e nem sequer a bateu com força. Limitou-se a olhar para Sepp Maier, que já tombava para o lado esquerdo, e "picou" a bola lentamente para o meio da baliza. 

Mais do que um golo e do que um título europeu, Panenka conquistava uma página de ouro do futebol mundial. "Cerca de dois anos antes do Europeu, comecei a tentar. No início fi-lo em jogos amigáveis e, mais tarde, em jogos do campeonato checoslovaco. Funcionou tão bem que decidi que usaria a técnica no Europeu, caso tivesse de marcar um penálti. Claro, foi puro acaso que a oportunidade tenha surgido na final, depois dos alemães empatarem no último minuto e do jogador alemão falar o penálti antes de mim. Foi como se fosse a vontade de deus. Estava 1000% certo que bateria o penálti daquela forma e que marcaria", explicou Panenka, mais tarde, a uma rádio checa.

"Génios" e "loucos" imitam Panenka

O brasileiro Pelé apelidou-o de "génio ou louco", mas certo é que o penálti à Panenka criaria uma legião de seguidores, em jogadores mais ou menos génios ou loucos.

No Euro 2004, frente à Inglaterra, Hélder Postiga testou os corações dos portugueses ao concretizar uma penálti à Panenka. Dois anos mais tarde, foi a vez do francês Zinedine Zidane fazer o mesmo na final do Mundial, frente à Itália. No ano passado, no Mundial da África do Sul, foi "Loco" Abreu a fazer jus ao nome e a marcar à Panenka, frente ao Gana. 

O pior é quando a técnica falha, como aconteceu a Francesco Totti em 2004, num jogo da Serie A, frente ao Lecce. Mas a glória compensa o risco...

Penálti de Panenka, na final do Euro 1976:
Penálti de Hélder Postiga, nos quartos de final do Euro 2004:
Penálti de Zinedine Zidane, na final do Mundial 2006:
Penálti de "Loco" Abreu, nos quartos de final do Mundial 2010:
Penálti de Francesco Totti, num Roma vs Lecce, jogo da Serie A:
Penálti de Jorge Fucile, num amigável do FC Porto, que enfurece Jesualdo Ferreira: