Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

"Muita gente não acreditava no título europeu do Benfica"

O treinador do Benfica, André Lima, regozijou-se hoje pela conquista do título europeu de Futsal, no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, reiterando que "muita gente não acreditava" que fosse possível.

"No início da época, quando falámos em ser campeões da Europa, sabíamos que era um desafio muito grande. Mas tínhamos de ter um objetivo, pois para o Benfica não chega ser só campeão nacional", disse, na conferência de imprensa após a final com os espanhóis do Interviú, que a equipa portuguesa venceu, por 3-2, no prolongamento.

André Lima sublinhou que o Benfica andava atrás do título na Taça UEFA "há muito tempo" e expressou satisfação pelo facto de o Pavilhão Atlântico ter tido a lotação esgotada para o jogo com o Interviú, que defendia o título.

"Jogar com quase 10 mil pessoas não ficou só a marcar os jogadores do Benfica, mas também os do Interviú, que, de certeza, não devem ter jogado muitas vezes com uma moldura humana destas", notou, esperançado de que a conquista do título europeu possa fazer com que "se olhe para a modalidade de outra maneira" em Portugal.

O treinador do Benfica - que esteve na final de 2004 como jogador, que o Interviú venceu no conjunto de dois encontros - considerou que "era justo que o jogo não tivesse ido para prolongamento", depois de subsistir a igualdade a dois golos.

"Mas os campeões têm sorte. A estrela não queria abandonar os campeões em título, mas acabou por ir para os novos campeões", disse, reiterando "o enorme respeito" pelo Interviú Madrid, equipa que tem três Taças UEFA no seu palmarés.

Numa alusão à final que perdeu como jogador, André Lima disse que lhe deu "prazer levantar o troféu" na Tribuna de Honra do Pavilhão Atlântico e "ver pela primeira vez o Interviú lá em baixo".

Davi, o autor do golo da vitória do Benfica, aos 2 minutos do prolongamento, levantou o troféu pela segunda vez (a primeira no Charleroi), mas confessou que "a sensação foi completamente diferente desta vez".

"Foi extraordinário e completamente diferente. O pavilhão estava lotado e todo o mundo a puxar pelo Benfica. Era também o meu sonho jogar no Pavilhão Atlântico cheio", afirmou.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.