Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Desporto

Mourinho: "Se digo o que penso a minha carreira termina hoje" (vídeo)

  • 333

Mourinho deixou duras críticas ao árbitro Wolfgang Stark e ao "poder" do Barcelona e diz que o mundo do futebol às vezes lhe dá "asco".

José Mourinho deixou duras críticas ao alemão Wolfgang Stark, que arbitrou a primeira mão da meia-final da Liga dos Campeões de futebol em que o Real Madrid perdeu com o Barcelona (2-0), admitindo que a eliminatória está perdida. 

"Se lhe digo a ele (ao árbitro) e à UEFA o que penso e o que sinto, termina hoje a minha carreira. Como não posso dizer o que sinto, deixo uma pergunta: porquê?", questionou o treinador português do Real Madrid, que foi expulso do banco, por protestar o cartão vermelho mostrado a Pepe, aos 61 minutos. 

"Um escândalo"

Um porquê que, disse, rodeia muitas das passagens do Barcelona na Liga dos Campeões, pois na sua opinião houve "um escândalo" no Estádio Santiago Bernabéu que impedirá os catalães, se vencerem, de conquistar uma "Liga dos Campeões limpa". 

"Espero que um dia tenha a resposta. Porque é que uma equipa (Barcelona) desta dimensão, uma fantástica equipa de futebol, necessita de uma coisa óbvia que todos veem?", perguntou, referindo-se a vários casos que considera terem beneficiado os catalães. 

"O futebol é para se jogar com regras iguais para todos. Depois, que ganhe o melhor, quem merece. Hoje empatávamos 0-0 e no segundo jogo o Barcelona ganhava. E com mérito, e não haveria mal nenhum", afirmou. 

Real Madrid está eliminado, diz Mou

Na sua opinião, o jogo equilibrado transformou-se num jogo polémico, que deixa dúvidas a que "só o árbitro pode responder". 

Mourinho deixou duras críticas a vantagens arbitrais de que o Barcelona beneficiou em edições anteriores da competição e considerou que este ano, com o Madrid, "não foi possível fazer o milagre do ano passado, com o Inter".

"Sim [o Madrid] está eliminado. Vamos lá (a Barcelona) com todo o orgulho, com todo o respeito pelo nosso mundo, que é o futebol, mas que algumas vezes me dá um pouco de asco, viver e ganhar a minha vida neste mundo", disse.

Sem Pepe, sem Ramos e sem Mourinho

"Vamos sem Pepe, que não fez nada, sem Sérgio [Ramos] que não fez nada, sem o treinador. Com um resultado praticamente impossível de recuperar. E se fizermos um golo lá e deixarmos a eliminatória um pouco aberta, matam-nos outra vez", afirmou. 

Afirmando desconhecer os motivos da sua própria expulsão e insistindo que "ao árbitro não disse nada", Mourinho afirmou que continua sem entender a expulsão a Pepe e o amarelo que afastou Sérgio Ramos da segunda mão. 

"E se gente do Barcelona é honesta, sabe perfeitamente que ganhar assim não tem o mesmo sabor", disse. 

"Champions que a mim me daria vergonha de ganhar"

Depois, voltou a atacar Josep Guardiola, treinador do Barcelona, afirmando que o técnico catalão "é fantástico" mas ganhou uma Liga dos Campeões "depois de um escândalo" em Stamford Bridge, referindo-se à meia-final de 2009, com o Chelsea. 

"Eu ganhei duas 'Champions'. E as duas no campo. E com duas equipas que não eram o Barcelona. O Josep Guardiola é um treinador fantástico de futebol. Mas ganhou uma 'Champions' que a mim me daria vergonha de ganhar, com o escândalo de Stamford Bridge. E se este ano ganhar a segunda, é com o escândalo do Bernabéu", afirmou. 

"O Barcelona merece que o Guardiola ganhe uma dentro da normalidade",disse ainda. 

Veja vídeo SIC: