Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Mourinho em final inédita pedida por Van Gaal

Por uma vez, o Estádio Santiago Bernabéu, do Real Madrid, poderia ser a casa do rival Barcelona, mas afinal serão Inter Milão e Bayern Munique a disputar ali, a 22 de maio, uma inédita final da Liga dos Campeões.

Por uma vez, o Estádio Santiago Bernabéu, do Real Madrid, poderia ser a casa do rival FC Barcelona, mas serão Inter Milão e Bayern Munique a disputar ali, a 22 de maio, uma inédita final da Liga dos Campeões de futebol. 

O português José Mourinho, de 47 anos, e o holandês Louis van Gaal, com 58, outrora pupilo e mestre no banco da equipa catalã, estarão agora em trincheiras opostas, para fazer a regressar a glória europeia ao clube italiano ou ao "colosso" alemão. 

Os "nerazzurri" negaram ao campeão europeu a sua segunda final consecutiva, resistindo à "avalancha" atacante no Camp Nou, onde a vitória "blaugrana" (1-0) não chegou para anular o triunfo do Inter em Milão (3-1). Os bávaros passearam-se em Lyon (3-0), reforçando a vitória a primeira mão (1-0). 

O Inter, longe da final desde 1972, e o Bayern, sedento do título desde 2001, apenas por uma vez se cruzaram nas competições europeias. Aconteceu numa eliminatória da Taça UEFA de 1988/89 e os germânicos levaram a melhor.

Para o clube transalpino, esta final é um sonho, como disse Mourinho na véspera do embate de Camp Nou. Campeão de Itália nos últimos quatro anos e provavelmente a caminho do quinto título, o Inter e o seu presidente, Massimo Moratti, sonham com a Taça dos Campeões há 45 anos, depois das conquistas de 1964 e 1965, em finais com o Real Madrid, em Viena, e com o Benfica, em Milão. 

De lá para cá, ficaram-lhe atravessadas na garganta as derrotas com o Celtic, na final de 1967, em Lisboa, e com o Ajax, na de 72. No seu palmarés constam ainda duas conquistas da Taça Intercontinental (1964 e 1965) e três Taça UEFA (1991, 1994 e 1998). 

Van Gaal "ansioso" pelo confronto com Mourinho

Mourinho, vencedor da Taça UEFA e da Liga dos Campeões com o FC Porto em 2003 e 2004, é o homem em quem Moratti apostou para recuperar o estatuto no Velho Continente. Para já, colocou-o mais perto do que nunca nos últimos 38 anos. 

Van Gaal pediu e Mourinho fez-lhe a vontade. Esta era final desejada pelo holandês, que, depois da vitória sobre o Lyon, mostrou a convicção de que o Inter não iria ceder em Barcelona e, com humor, disse estar ansioso pelo confronto com o "velho amigo" na sala de imprensa do Bernabéu. 

Foi sob o comando do holandês que o Bayern recuperou preponderância no futebol alemão e progrediu ao ponto de estar na final da Liga dos Campeões, nove anos depois do último dos seus quatro títulos (1974, 1975, 1976 e 2001). Presente pela oitava vez na final, o clube de Munique ostenta ainda nas suas vitrinas uma Taça das Taças (1967), uma Taça UEFA (1996) e a Taça Intercontinental (1976 e 2001). 

Tal como Mourinho, Van Gaal tem pela frente a sua terceira final continental, mas todas na Taça dos Campeões/Liga dos CAmpeões. Nas duas anteriores, deu o título ao Ajax de Amesterdão em 1995 e perdeu-o no ano seguinte para a Juventus. 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.