Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Messi quer ganhar ao Real Madrid nem que seja só por um golo

Lionel Messi, autor dos quatro tentos que garantiram a eliminação do Arsenal da Liga dos Campeões, já pensa na "muito importante" partida de sábado com o rival Real Madrid.

O avançado argentino do FC Barcelona Lionel Messi, autor dos quatro tentos que garantiram a eliminação do Arsenal da Liga dos Campeões, sublinhou que é preciso "continuar a trabalhar" e "ganhar, nem que seja por um golo". 

"Estou muito feliz com esta vitória, mas é preciso continuar a trabalhar. Temos um jogo muito importante à nossa espera (sábado, diante do rival Real Madrid, na Liga espanhola). O importante é poder ganhar, nem que seja por um só golo de diferença", afirmou Messi, cuja equipa vai defrontar agora na "Champions" o Inter Milão, treinado por José Mourinho. 

O técnico francês do Arsenal, Arsene Wenger, rendeu-se ao talento do sul-americano e comparou-o aos bonecos dos videojogos de futebol das consolas eletrónicas. 

"Génio estelar"

"É uma equipa muito boa que, além disso, tem o melhor jogador do Mundo. É muito jovem e pode alcançar grandes feitos. Ainda tem mais seis ou sete anos de grande nível pela frente e pode marcar uma época. Faz acontecer coias impossíveis. Não conheço muitos jogadores capazes de marcar o quarto golo como ele o fez", afirmou Wenger. 

O presidente do "Barça", Joan Laporta, também não poupou elogios ao ídolo "blaugrana", classificando-o como "génio estelar", que "sabe sofrer e tem muita qualidade. 

"Vai ser uma eliminatória magnífica entre duas equipas de prestígio mundial", concluiu sobre a próxima fase, na qual os "culé" defrontam os "nerazzurri". 

"Póquer" não acontecia desde 2005

Messi é o sétimo futebolista a conseguir marcar quatro golos num jogo Liga dos Campeões ou da antecessora Taça dos Campeões europeus.

Messi, que passou a somar oito golos na presente edição e destronou o português Cristiano Ronaldo como melhor marcador, alcançou um feito que não acontecia desde novembro de 2005, quando o ucraniano Andrei Shevchenko apontou os quatro tentos da vitória do AC Milan sobre o Fenerbahçe.

Além de Shevchenko, também o holandês Ruud van Nistelrooy (Manchester United-Sparta Praga, 4-1, em 2004), o croata Dado Prso (Mónaco-Corunha, 8-3, em 2003), o italiano Simone Inzaghi (Lazio-Marselha, 5-1, em 2000) e o também holandês Marco van Basten (AC Milan-IFK Gotemburo, 4-0, em 1992) marcaram quatro golos num só jogo, mas nenhum deles em fase da competição a eliminar, como Messi.

Antes do formato Liga dos Campeões, só o húngaro Ferenc Puskas conseguira um "póquer", em 1960, mas fê-lo numa final, em que o Real Madrid bateu o Eintracht de Frankfurt, por 7-3.

Com os quatro golos, Messi tornou-se o melhor marcador do FC Barcelona na "Champions", com 25 golos, mais dois do que o brasileiro Rivaldo. Nesta época, a "Pulga" argentina já leva 39 tentos em todas as competições.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.